Doria lamenta demissão de secretário e diz que saída de Mandetta seria ‘desastre’

Foto: Paulo Guereta/AE

O governador de São Paulo, João Doria, disse que seria um “desastre” e “um risco para a saúde pública do País” o eventual desligamento do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, da pasta e criticou alterações no quadro de secretários. “Haverá o risco de não mais termos uma orientação técnica, baseada e fundamentada na saúde e na Medicina, sim uma orientação política e ideológica”, disse o governador paulista.

Segundo o secretário de Saúde de São Paulo, José Henrique Germann, “é um erro estratégico do governo (federal) alterar essa equipe de trabalho que está absolutamente engajada e conhece os problemas que estamos enfrentando”.

Doria também lamentou o pedido de demissão divulgado pela manhã do secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, do Ministério da Saúde. “Perdemos um guerreiro que tem ajudado a saúde pública brasileira”, disse.

Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, o governador disse que não iria comentar a publicação do presidente Jair Bolsonaro hoje cedo de um vídeo em que Doria e Mandetta eram referidos como “sócio da paralisia”.