Sem chance na capital, PT mira Guarulhos para voltar ao poder

Sem chances reais de conseguir eleger um novo prefeito para a capital, o Partido dos Trabalhadores (PT) tem mirado em Guarulhos para tentar voltar ao poder. Na última pesquisa Datafolha, divulgada na quarta-feira (11), Jilmar Tatto, candidato petista na capital, aparece com apenas 4% das intenções de votos distante de Bruno Covas (PSDB) que se isolou na liderança com 32%.

Por isso, na maior parte dos municípios, a estratégia foi lançar candidaturas de ex-prefeitos que se amparam em realizações do passado para tentar reassumir às prefeituras. É o caso do ex-prefeito Elói Pietá, que governou Guarulhos entre 2001 e 2008, e agora caminha para um possível segundo turno com o prefeito Guti (PSD).

Dessa forma, apenas Guti consegue atrapalhar o projeto do PT de retomar as cidades com mais de 200 mil eleitores, onde Guarulhos é um importante colégio eleitoral – já que é o maior do país fora das capitais.

O objetivo do partido é retomar espaço entre os 96 maiores colégios eleitorais brasileiros, como as 26 capitais e 70 municípios de interior com mais de 200 mil eleitores. A ideia é se recuperar dos péssimos resultados obtidos nas eleições de 2016, quando a operação Lava Jato e o impeachment de Dilma Rousseff, refletiram nas urnas.

Naquele ano, o partido conseguiu eleger apenas um prefeito em um município com mais de 200 mil eleitores. Trata-se da reeleição do então prefeito de Rio Branco (AC), Marcos Alexandre – que em 2018 deixou o mandato para disputar o governo do estado.

Neste ano, entre as capitais de porte médio, o partido lidera a corrida pela Prefeitura de Vitória (ES) com a candidatura de João Coser, que já foi prefeito de 2005 a 2012 da capital capixaba.

Além dele e de Pietá, há pelo menos outras cinco cidades onde os candidatos são ex-prefeitos que estão tentando retomar o poder em seus municípios como Contagem (MG), Santarém (PA), Anápolis (GO), Caxias do Sul (RS) e Vitória da Conquista (BA). Em todas, o PT tem na disputa ex-prefeitos que buscam resgatar a memória de suas gestões.

Em Contagem, a missão foi dada a deputada estadual e ex-prefeita Marília Campos. Já Anápolis, o ex-prefeito Antônio Gomide (PT) tenta voltar ao comando da prefeitura nesta eleição – ele governou o município de 2009 a 2014, quando renunciou para disputar o governo do Estado, terminando em quarto lugar, com 10% dos votos.

Já em Vitória da Conquista, está o deputado estadual e ex-prefeito José Raimundo. A cidade é simbólica para o PT: foram 20 anos de gestões petistas na cidade de 1997 a 2016, ano em que o partido perdeu para Herzem Gusmão (MDB).

O PT também tem candidaturas competitivas em Juiz de Fora (MG) e Feira de Santana (BA), cidades onde os candidatos são deputados que já disputaram a prefeitura em outras oportunidades, mas nunca venceram.

Em Juiz de Fora, a deputada federal Margarida Salomão disputa a prefeitura pela quarta vez consecutiva. Nas eleições de 2008, 2012 e 2016, ela chegou a ir para o segundo turno, mas perdeu as três eleições. Em Feira de Santana, a meta foi dada ao deputado federal Zé Neto, que vai para a sua quinta tentativa de se eleger prefeito: disputou o cargo em 1996, 2004, 2012 e 2016.