Política: Secretaria de Direitos Humanos apresenta balanço de ações desde sua criação, em 2017

No auditório da Secretaria de Educação, a pasta de Direitos Humanos apresentou o balanço da gestão desde sua criação, em 2017. A apresentação teve como objetivo destacar a importância da participação de todos os funcionários na elaboração do planejamento e construção da secretaria, definindo sua missão, visão e valores alinhados com o plano de governo.

A apresentação destacou as atividades e equipamentos implantados durante os últimos quatro anos, como a criação do Centro de Referência em Direitos Humanos, inserido estrategicamente na região do Pimentas para atender a população em vulnerabilidade, a criação do caderno dos direitos humanos, do guia dos direitos humanos e de todos os materiais utilizados para informar e orientar as pessoas com relação ao tema.

O secretário Walid Shuqair aproveitou a oportunidade para oferecer uma reflexão aos servidores presentes sobre a importância dessas ações. “É importante abraçarmos o Centro de Referência, assim como todas as outras formas de levar cada vez mais informações para as pessoas. Elas precisam ter ciência dos seus direitos e estamos aqui para ajudá-los nessa missão”, afirmou.

É importante ressaltar ainda a importância da criação do Observatório de Direitos Humanos, que auxilia a pasta na criação de métricas para o planejamento e implantação das políticas públicas.

Além das conquistas da Secretaria de Direitos Humanos, é importante ressaltar que as subsecretarias têm um trabalho importante para a criação dessas políticas públicas.

Confira algumas das dezenas de conquistas das subsecretarias

– Capacitações de condutores e cobradores do transporte público e condutores e auxiliares dos transportes escolares para atendimento a idosos e pessoas com deficiência, com cerca de 5 mil certificados entregues;

– Lei municipal 7.828/2020, que dispõe sobre a jornada especial de trabalho para o servidor público com deficiência, bem como àquele que tenha cônjuge ou relação de união estável, filhos ou dependentes com deficiência;

– Programas de atenção à população negra, povos e comunidades tradicionais e migrantes, que já somam mais de 4 mil atendimentos;

– Criação da Casa do Jovem, que atendeu 123 mil pessoas de 2017 até hoje. O local é um espaço de interação que oferece diversos cursos de qualificação profissional para pessoas de 15 a 29 anos;

– O Programa Amigo Estou Aqui, que já levou palestras sobre saúde mental a mais de 15 mil jovens em escolas do município;

– Inauguração do Ambulatório Ameprotrans em parceria com a Secretaria da Saúde;

– Casamento comunitário LGBTI+, que já atendeu mais de mil pessoas;

– Inauguração da primeira Casa Abrigo para mulheres vítimas de violência doméstica da cidade;

– Novas instalações do Centro de Referência de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência Doméstica, que já atendeu mais de 4 mil pessoas no novo endereço;

– Projeto Academia na Praça 60+, com mais de 1.500 participantes em 14 bairros.