GCM apreende balão que caiu em residências e causou risco a aeronaves

Foto: Rodrigo Trindade/Leitor HOJE

A Guarda Civil Municipal (GCM) de Guarulhos apreendeu um balão de grande porte com uma bandeira de 30 metros que caiu sobre residências na rua Central, no bairro Torres Tibagy, na manhã deste domingo (3). O incidente gerou um princípio de incêndio, queimou a fiação elétrica e ainda causou prejuízos à operação de várias aeronaves, que foram forçadas a desviar do balão.

Um jato Boeing 777 da companhia Qatar chegou muito perto do objeto enquanto sobrevoava o centro da cidade, mas conseguiu sair de seu caminho com um leve desvio à esquerda. Devido ao imprevisto, precisou realizar uma manobra segundos antes do pouso para retomar o alinhamento.

Com o apoio do Corpo de Bombeiros, os agentes conseguiram isolar a área e conter o princípio de incêndio na bandeira que estava fixada ao balão. Junto à Polícia Militar, a GCM dispersou aproximadamente cem motociclistas que acompanhavam a rota do objeto. A concessionária EDP São Paulo foi ao local para restabelecer a energia elétrica.

Após garantir a segurança dos moradores, a estrutura de ferro e os demais materiais do balão foram retirados por uma viatura e um caminhão da Secretaria de Administrações Regionais.

Legislação

Os balões podem causar prejuízos irreversíveis às áreas de vegetação e risco de vida a pessoas e animais. Em cidades aeroportuárias a possibilidade de tragédias é ainda maior, uma vez que podem colidir com aeronaves e causar turbulências graves e até mesmo quedas.

Portanto, fabricar, transportar, vender ou soltar balões é crime ambiental previsto pelo artigo 42 da lei federal 9.605/98, que protege as florestas e vegetações, e o Código Brasileiro Aeronáutico também criminaliza a prática, com pena de seis a 12 anos de detenção, conforme a gravidade.

- PUBLICIDADE -