Após greve, coletores de lixo retornam ao trabalho

Segundo o HOJE apurou houve um acordo parcial entre os profissionais e a prefeitura referente ao atraso no pagamento.
Os coletores e motoristas da Quitaúna deveriam ter recebido a remuneração no último 10. Sem os salários pagamento eles optaram pela greve. A falta de pagamento por parte da Quitaúna se deu devido a falta de repasse por parte da prefeitura.

O retorno da coleta de lixo se deu de forma gradual priorizando o recolhimento de lixo hospitalar e também nos locais de feiras livres. A expectativa para hoje é que a coleta seja totalmente normalizada em Guarulhos.

No total a prefeitura estaria devendo R$ 25,1 milhões a empresa, conforme dados disponibilizados no Portal da Transparência do município. Neste ano foram contratados R$ 109,1 milhões em serviços dos quais apenas R$ 73,5 milhões foram devidamente pagos. Em contrapartida a empresa executou o equivalente a R$ 84 milhões – o que gera um déficit para a Quitaúna de R$ 10,5 milhões.

O levantamento aponta que a Quitaúna já amarga desde o ano passado com a falta de pagamento da prefeitura. A empresa ainda não recebeu mais de R$ 20 milhões do total de R$ 143,2 milhões contratados onde R$ 133,7milhões já foram executados e R$ 112,1 devidamente pagos. Ainda assim, na última sexta-feira (9) foi publicado no Diário Oficial do município um repasse de R$ 9 milhões a empresa que possui mais de 500 funcionários. No ano passado os trabalhadores realizaram duas paralisações devido a falta de pagamento.

Reportagem: Rosana Ibanez