Moradores reivindicam a regularização fundiária do Jd. das Oliveiras na Câmara

Os anos passam e a situação pouco muda no bairro Jardim das Oliveiras, que abriga o Residencial Santos Dumont. Criado em 1992 para a implantação do respectivo conjunto habitacional, moradores estiveram na manhã desta segunda-feira, 20, na Câmara Municipal para reivindicar a regularização fundiária do local e uma possível reintegração de posse do loteamento.

Segundo informações apuradas pelo Hoje, cerca de três famílias já haviam deixado o local, por meio de decisão judicial. Alguns moradores, que optaram por não se identificar, afirmam que desde a ocupação do bairro em 1992 nenhum dos habitantes lá instalados pagam impostos, em especial o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

“O nosso movimento tem como objetivo evitar a reintegração de posse proposta pela Primeira Casa. Eles chegam nas casas e ao mandar sair jogam os móveis na rua. Eles vem com o oficial de Justiça e não
apresentam mandado”, declarou Jorge Rocha, que organiza o movimento dos moradores.

Moradores também revelaram que apesar do imbróglio, o local conta com parte da infraestrutura básica como fornecimento de água e energia elétrica. “Queremos pagar algo que possa nos garantir algo legal e ter a oportunidade de pagar nossos impostos”, explicou Rocha.

A reportagem do Hoje entrou em contato com a Cooperativa Habitacional Primeira Casa para os devidos esclarecimentos sobre o Residencial Santos Dumont, mas fomos informados da impossibilidade de ter qualquer tipo de contato com os diretores da cooperativa, em especial, com o presidente José Ângelo Honorato Batista. O mesmo atende somente com horário pré-agendado.

Reportagem: Antônio Boaventura
Foto: Ivanildo Porto