Vereador Toninho da Farmácia é investigado por nepotismo

O Ministério Público Estadual (MPE) abriu inquérito para investigar a suposta prática de nepotismo cruzado pelo vereador Toninho da Farmácia (PSD). O parlamentar, que está em seu 2º mandato na Câmara Municipal, não foi encontrado para se manifestar sobre o assunto.

A prática de nepotismo cruzado é considerada crime e pode levar a cassação do mandato em vigência. Ela consiste na troca de parentes entre agentes públicos para que tais parentes sejam contratados diretamente, sem concurso. Ou seja, seriam contratados na condição de comissionados.

Em fevereiro do último ano, o Ministério Público cumpriu mandado de busca e apreensão no gabinete do ex-vereador Maluco Beleza, que estava no PHS, e legislava para a cidade de Osasco (Grande SP), com a suspeita de contar em sua estrutura com funcionários “fantasmas” e a prática de nepotismo cruzado. No entanto, na mesma investigação, o MPE apontou a participação de um parlamentar guarulhense.

A união entre os vereadores dos diferentes municípios se deu, de acordo com o Ministério Público, através de suas esposas. Elas estariam registradas nos gabinetes oponentes sem a devida prestação de serviço.

Na tarde desta terça-feira (14), o vereador Toninho da Farmácia recebeu a solicitação do Ministério Público Estadual para prestar esclarecimento sobre o caso e indicar ao órgão o nome de sua esposa para confrontar com as informações apuradas até o momento.

Reportagem: Antônio Boaventura
Foto: Ivanildo Porto