Entidades sindicais devem aprovar paralisações de até 24 horas

Com o objetivo de protestar contra a reforma na previdência, além das terceirizações em todas áreas, os movimentos sindicais devem aprovar as paralisações de 24h nesta sexta-feira (28). Na página da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística (CNTTL), há um levantamento preliminar da situação em algumas cidades. Em Guarulhos, há previsão de uma paralisação de 24h no setor dos aeroviários, entre os funcionários nas empresas aéreas que trabalham no solo, como check-in, despachante de voo, limpeza de aeronave, mecânico de pista e agente de proteção.

Já no transporte municipal e intermunicipal, o levantamento preliminar esclarece que cerca de 8 mil condutores cruzarão os braços por 24h. A reportagem do HOJE entrou em contato com a assessoria de imprensa da CNTTL, que afirmou no momento se tratar de informações preliminares e revelou que a prioridade é que a paralisação ocorra por 24h, porém, haverá mais reuniões sindicais até esta quinta-feira (27), o que pode mudar a situação.

Já a assessoria do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários no Transporte de Passageiros, Urbano, Suburbano, Metropolitano, Intermunicipal e Cargas Próprias de Guarulhos e Arujá em São Paulo (Sincoverg), apenas confirmou que haverá paralisação, porém, ainda não está definida que será 24h.

Reportagem: Ulisses Carvalho
[email protected]