Prefeitura encerra convênio com Hospital Nipo-Brasileiro

O contrato entre prefeitura e Hospital Nipo-Brasileiro, será encerrado nesta quarta-feira (31). Este convênio foi assinado em 2010, e abrangia procedimentos em ortopedia, fisioterapia, acupuntura, tomografia e radiologia. Sem a renovação, a prefeitura deverá ampliar o atendimento para essas especialidades no Hospital Municipal de Urgências (HMU) e Unidade de Pronto Atendimento (UPA) São João, porém, pacientes alegam que não foram avisados sobre a mudança.

“Após quatro anos esperando um ortopedista para tratamento no joelho, o Hospital Municipal de Urgências me encaminhou para a clínica do Nipo- Brasileiro, e na última semana, recebi a informação pela clínica, e não pela prefeitura, de que o contrato não iria ser renovado”, disse a diarista Nair Aparecida Alves.
Os atendimentos seguem até esta quarta-feira (31), último dia de contrato, na Clínica de Ortopedia e Reabilitação Nipo-Brasileiro, localizada na avenida Bom Clima, no bairro do Macedo. A prefeitura cedia o espaço, um prédio alugado, e o hospital entrava com toda parte operacional, entre profissionais e equipamentos, porém, com a não renovação, o prédio será desocupado.

De acordo com a assessoria do Hospital Nipo-Brasileiro, o acordo firmado atendia mensalmente 1534 procedimentos em ortopedia, 11.980 sessões de fisioterapia, 250 sessões de acupuntura, 600 exames de tomografia e 724 exames de radiologia, porém, o número de consultas geralmente ultrapassava o limite do acordo.

A reportagem do HOJE questionou a Secretaria de Saúde, que confirmou a não renovação do contrato, além de revelar que o valor do convênio gerava um custo mensal de R$ 75.888,38 para a prefeitura, e que os atendimentos relacionados à área de ortopedia serão destinados para o HMU e UPA São João, para tratamento conservador e reabilitação pós-cirúrgico.
“Em média, eram 100 consultas especializadas, e no momento, somente 70 pacientes na fisioterapia, sendo alguns em término de tratamento. Na nova organização dos serviços assistenciais em Guarulhos haverá suficiência de recursos próprios não sendo necessária a contratação de terceiros e ampliaremos o atendimento para outras especialidades no mesmo espaço”, afirmou em nota a saúde.

Reportagem: Ulisses Carvalho
[email protected]