Moradores lutam há três anos pelo término dos pancadões no Jardim Vermelhão

Quem trabalha durante a semana, aguarda o final de semana para descansar, mas quem mora no Jardim Vermelhão, região do Pimentas, sofre para conseguir a tranquilidade na sexta e no sábado, e quem tem que ir trabalhar, deve seguir a pé ou utilizar o transporte público, porque caso tente utilizar o carro para seguir ao trabalho, não irá conseguir pois a rua fica toda fechada com o pancadão.

“São pessoas urinando e drogas na porta de casa”, é como define um morador que preferiu não se identificar. O pancadão denominado de “Baile do Vermelhão”, mudou de endereço, primeiro ocorria no Campo do Vermelhão, próximo a rua Barroso, mas após algumas reclamações de moradores, o pancadão mudou de endereço,e agora acontece na rua Central, uma via que passa apenas um veículo, e detalhe, situa-se no meio de diversas residências.

Segundo moradores, geralmente um carro só com o som já fecha via toda, tomada por mais duas mil pessoas. “O pancadão ocorre há três anos no bairro, a gente não consegue dormir, e ainda sofre com ameaças”, afirmou um morador. O HOJE acessou a página do evento em uma rede social, que consta pancadões realizados entre sexta-feira e sábado, e o próximo, estaria marcado em duas datas, primeiro no dia 8 de julho, com inicio às 19h, e no dia 9 de julho, inicio às 22h, ambos na rua Central, com três mil pessoas garantindo a participação no evento, e mais de duas mil pessoas interessadas no pancadão.

Reportagem: Ulisses Carvalho
[email protected]

Foto: Reprodução oficial