Sem apoio do Corinthians, PCN coleta assinaturas para criar legenda na cidade

A ligação entre o meio político e o esportivo vem se fortalecendo ao longo dos últimos anos. Além do Partido do Esporte, os próximos pleitos eleitorais podem contar com mais uma sigla partidária com referência ao esporte. Apesar de não contar com o apoio do Corinthians, o Partido Nacional do Corinthians pode se tornar realidade e já realiza coleta de assinaturas para criação da legenda na cidade de Guarulhos.

Este processo já está em curso no município desde o ano passado. Entretanto, a direção da sigla partidária, que ainda busca sua homologação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não tem o número exato de assinaturas coletadas, até o momento. A coleta esta sendo realizada no calçadão da rua Dom Pedro, na região central.
Carlos Zaparoli, responsável pela estruturação do partido na cidade, revelou que o PNC já obtém aproximadamente 400 mil assinaturas que, segundo ele, foram coletadas em todo País. Para a homologação da sigla partidária, o TSE exige a coleta de 500 mil assinaturas.

“O nosso alicerce está voltado para investimentos em políticas publicas para a educação e o esporte. Em 1960, a Coréia do Sul era um país deplorável e acharam por bem investir em educação. Com isso conseguiram mudar aquele cenário. Aqui, apenas o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) luta por esse tema”, declarou Zaparoli.
Em maio, o Corinthians se manifestou contrariamente à criação da legenda e descartou apoiar qualquer iniciativa de seus organizadores. O clube classificou esta ação como oportunista. Em setembro de 2015, o TSE rejeitou, por unanimidade, o pedido do registro do partido, que é presidido pelo ex-secretário de Meio Ambiente de Ubatuba, no litoral paulista, Juan Grangeiro.

“O Roberto de Andrade (atual presidente do Corinthians) é contra. Ele nos disse que o Corinthians não tem nada a ver com o partido, além de dizer que nós estamos nos aproveitando do nome do clube. O Roberto nem sequer nos recebeu para falar sobre o assunto”, concluiu.

Reportagem: Antônio Boaventura
[email protected]

- PUBLICIDADE -