O comando das bases da Polícia Militar – 44º e 31º Batalhão – negociam com a Prefeitura de Guarulhos novas estruturas para abrigar estes postos localizados na região do Pimentas. O HOJE apurou que existem terrenos na Vila Carmela e Vila Alzira destinado pela administração municipal para instalar as respectivas unidades de segurança.

Segundo o capitão José Sernivaldo, que atende as demandas do 31º Batalhão da Polícia Militar, e é responsável pela 2º Cia, a unidade tem como destino a Vila Carmela. “Ainda não existe previsão. Vamos sair daqui (avenida Papa João Paulo) por conta das obras do Trevo [de Bonsucesso], além da duplicação da avenida”, explicou o oficial.
Com problemas na infraestrutura do imóvel atual, custeado pela prefeitura, a base do 44º Batalhão deve deixar, segundo informações, a avenida Santana do Mundaú e atender na avenida José Miguel Ackel, na Vila Alzira.
Neste local, um terreno foi repassado por um empresário à administração municipal para que pudesse abrigar a base a unidade da PM. Tanto a prefeitura quanto o comando das bases negociam a mudança dos locais. Entretanto, ainda não existe definição sobre o assunto.

A prefeitura, por meio da Secretaria para Assuntos de Segurança Pública, ressalta que o contrato de locação vigente da base do 31º BPM, localizado na avenida Papa João Paulo, vai até 10 de novembro deste ano. Porém já existe uma reserva orçamentária para a renovação do contrato. Já a base do 44º BPM é mantido pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

Moradores temem que a saída das bases irá aumentar a criminalidade

Moradores e comerciantes dos bairros Jardim Presidente Dutra e Parque Alvorada acreditam que a saída das bases da Polícia Militar irá colaborar para o crescimento da criminalidade e aumentar a sensação de insegurança.
“Para nós é muito importante [a existência das bases]. Espero que a segurança nesta área não piore com a saída desta base. Por enquanto, estamos sossegados com a presença deles [policiais]”, disse o motorista José Pereira, 65 anos.
Já o cargueiro Arnaldo Santos aponta a sensação de insegurança com a saída da base do Parque Alvorada. Ele revelou que antes de sua instalação, o estabelecimento em que trabalha era alvo constante de assaltos. “A base saindo daqui vai piorar. Vai aumentar a sensação de insegurança, até por que já tentaram roubar o estabelecimento, e com a base aqui melhorou bastante”.

Para o mecânico Caio Corrêa, 40, o índice de assaltos na região em que a base do 44º Batalhão está instalada pode aumentar com a saída dela. “Provavelmente vai aumentar. A base aqui é fundamental para a segurança da região”, concluiu.

Reportagem: Antônio Boaventura
antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here