A Prefeitura de Guarulhos pretende regulamentar o serviço de transporte por aplicativo na cidade nos moldes da capital paulista. Já a Uber, empresa gestora do serviço, ressalta que está em processo de implantação projeto para mobilidade urbana no município.

“As áreas metropolitanas de São Paulo podem se beneficiar muito de mais opções de mobilidade. Com esse projeto, queremos que cada vez mais parceiros façam viagens nessas regiões, levando usuários até o ponto de transporte público mais próximo ou ajudando-os a andar pelo bairro”, diz Guilherme Telles, diretor-geral da Uber no Brasil.

Em contrapartida, o governo municipal, por meio da Secretaria de Transportes e Trânsito (STT), informou que tem a intenção de regulamentar o serviço, porém, o tema ainda está sendo estudado pela gestão Guti. “Vários municípios estão regulando o Uber para que não tenha uma coisa predatória. Nós somos a favor das novas tecnologias. Mas, também não podemos deixar virar uma bagunça. Temos de ter uma ordem pra isso”, disse Giuliano Locanto, secretário de Transportes e Trânsito (STT).

Contudo, o HOJE obteve a informação de que o processo de regularização deve ser realizado com os mesmos procedimentos adotados na cidade de São Paulo. Por lá, na nova regulamentação, os veículos utilizados pelos condutores credenciados nos aplicativos cadastrados na prefeitura só vão poder ter placas licenciadas na cidade. Os veículos precisam ter no máximo cinco anos de fabricação.

A Uber apresentou um projeto na última semana para se tornar uma alternativa de mobilidade na região metropolitana de São Paulo – especificamente Cajamar, Franco da Rocha, Guarulhos, Mogi das Cruzes e o ABCD. Nessas regiões, o usuário precisa esperar o dobro do tempo para conseguir um carro, em comparação com a área central de São Paulo. Ao mesmo tempo, o motorista parceiro também faz menos viagens por hora.

Motoristas do sistema de transporte por aplicativo defendem a regulamentação

Motoristas que operam no sistema de transporte por aplicativo na cidade aprovam a regulamentação do serviço. Eles entendem que a medida, segundo eles, irá coibir possíveis irregularidades existentes nesta modalidade. Os adeptos também destacaram os benefícios que a regularização pode proporcioná-los.

“Acho que é benéfico. As vantagens é que regulamentando vai tirar toda falcatrua que existe no aeroporto e também dos veículos alugados. Com essa regulamentação, caso ocorra, teremos mais corridas pra fazer”, declarou o motorista José Moreira, 40 anos, que presta serviço de transporte por aplicativo há 18 meses.

Já Osmair Oliveira, 52, que também atua na modalidade pelo mesmo período que Moreira, ressalta a importância que a medida pode trazer para o sistema. “Sou a favor da regulamentação. O nosso objetivo é andar dentro da lei. Tudo o que for colocado para que possamos trabalhar de forma correta”, concluiu.

Reportagem: Antônio Boaventura
[email protected]

Foto: Ivanildo Porto

2 COMENTÁRIOS

  1. Por que esses caras da prefeitura não tomam vergonha e vão resolver problemas graves da cidade do que fica se preocupando com coisas que dão empregos para as pessoas.

  2. Nós da APTA (ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS EM TRANSPORTE POR APLICATIVO E MOBILIDADE URBANA) gostaríamos de participar desta discussão, pois acreditamos que podemos colaborar para chegarmos ao que for melhor para nossa cidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here