Habitantes de área particular na região do Picanço, conhecida como Vale dos Machados, estão correndo contra o tempo para que possam apresentar em tempo hábil as defesas em relação ao processo de reintegração de posse da área. O terreno começou a ser ocupado em 1982. A ação de reintegração de posse foi impetrada na Justiça por por Karime Braz, que alega ser proprietária da área.

“O que existe é um processo de reintegração que foi aberto desde 2015 e que
agora em 31 de julho foi publicado um edital de intimação para que os moradores apresentem defesa no processo. Documento este expedido através da 5ª Vara Civil de Guarulhos”, explicou Kepis Rosebelis.
Caso o processo de reintegração de posse seja favorável à desocupação dos imóveis instalados naquele local, aproximadamente 3 mil famílias devem ser desalojadas. Segundo informações, a partir de apontamentos realizados pela Prefeitura de Guarulhos, o Vale dos Machados conta com 1.700 residências.
Alegando falta de condições financeiras para contratar de forma particular profissionais que possam auxiliá-los no processo de defesa contra a ação movida por Karime, a grande maioria dos moradores procurou a Defensoria Pública, que segundo eles está impondo dificuldades para defendê-los.

“Durante todo esse tempo tivemos diversas reuniões com a Defensoria Pública e juntamos documentação de mais de 300 famílias para entrar com processo de defesa coletiva. Com menos de 15 dias para o encerramento do prazo para defesa, eles enviaram uma lista com 165 nomes informando que entrará com o processo somente destas 165 pessoas”, disse Rosebelis.

Já a Defensoria Pública, por meio de sua assessoria de imprensa, ressalta que a defesa dos moradores do Vale dos Machados será realizada de forma coletiva. No entanto, o órgão também destaca que não existe uma quantidade definida de pessoas a serem representadas nesta ação. Por fim, a Defensoria esclareceu que um primeiro pedido de reintegração da área foi indeferido e que o processo obedece os trâmites naturais e sem prazo para qualquer definição.

Reportagem: Antônio Boaventura
antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto: Ivanildo Porto

4 COMENTÁRIOS

  1. Baile Funk que sô serve pra vender e consumir drogas, além do barulho com “musicas”que fazem apologia as drogas pornografia e crime.Bandidos exibindo motos e carros roubados nas ruas.Lixo jogado nas laterais do Carrefour que tem suas paredes pixadas e cheias de remendos por tentativas de furtos.As pichações fazem apologia ai PCC .Crianças são estimuladas a furtar no Carrefour.Dificilmente se encontrará casas sem carros o que mostra que os moradores não são coitadinhos.Muitos moradores possuem casas no Nordeste e invadem outros bairros para fazer mais barracos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here