Dívida do Saae Guarulhos com a Sabesp continua sem definição

A dívida acumulada desde 1996 do Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), que supera o montante de R$ 3 bilhões, de acordo com a autarquia, continua sem previsão para uma solução.

Em julho, o Saae afirmou que não é possível estabelecer prazo para que esta dívida seja quitada. Entretanto, a autarquia ressalta que mantém diálogos ou negociação com a Sabesp com o propósito de garantir e melhorar o abastecimento do insumo em toda cidade. A empresa de capital misto é responsável por 87% do abastecimento de água na cidade. Outros 13% são atendidos pelo próprio município.
“Foi criado um grupo de trabalho pra se buscar uma boa solução. A Prefeitura de Guarulhos e a Sabesp continuam fazendo os entendimentos, sendo que há interesse de ambas as partes”, explicou o governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Na época, a autarquia também diz que voltou a pagar a conta de água à Sabesp, em torno de R$ 17 milhões ao mês, o que não aconteceu nos últimos 24 meses, além de R$ 1,5 milhão que o Saae paga por mês de precatórios da dívida com o órgão estadual.
Segundo o prefeito Guti (PSB), a Prefeitura de Guarulhos irá sugerir a Sabesp uma redução em até R$ 1 bilhão do débito existente. “O plano é o de conseguir fazer essa conta diminuir sem pagar juros e multas, o que nos proporcionaria uma economia de quase R$ 1 bilhão. A outra briga é fracionar esses pagamentos. Precisa ser algo que a gente possa pagar”, explicou Guti.

O grupo de estudos para tratar diretamente deste assunto. O prazo para conclusão desta ação é de 120 dias, porém, pouco mais de 80 dias já foram utilizados para tal tarefa. Ou seja, o Saae o término deste estudo se dará no início do mês de setembro.

Antônio Boaventura
[email protected]