Uma criança do sexo masculino de apenas sete meses conseguiu atendimento com o pediatra após percorrer três unidades. O caso ocorreu na noite desta terça-feira (12), onde a família teria percorrido a Policlínica Dona Luiza e Maria Dirce, mas diante da falta de pediatra, conseguiu atendimento apenas na terceira unidade, no Hospital Pimentas-Bonsucesso.

Apesar do atendimento no hospital, a família alega que houve complicações, e teriam ameaçado chamar a polícia para que a criança fosse encaminhada a triagem. “Como ele não estava mais com febre, porém, ainda sentia dores, tivemos que ameaçar chamar a polícia para conseguir o atendimento ao meu sobrinho”, disse a confeiteira e tia da criança Mariana Bastos Franca.

Segundo Mariana, outro problema foi em relação a sala do médico, que estava suja, após o vômito de uma criança. “Enquanto não tivesse limpado a sala, o médico não iria atender, e como o hospital estava sem auxiliar de limpeza, uma mãe teve que limpar”, afirmou a tia da criança.

Hospital e Secretaria de Saúde afirmam que denúncias não procedem

A gestão do Hospital Pimentas-Bonsucesso e a Secretaria de Saúde de Guarulhos, afirmaram em nota que a denúncia não procede, não havendo recusa de atendimento nem falta de profissionais da limpeza e pediatria.

A direção do hospital disse que o paciente deu entrada por volta das 20h48 desta terça-feira, sendo atendido e encaminhado à triagem de acordo com classificação de risco, no qual revelou que o caso da criança foi classificado como verde, o que significa caso de pouca urgência, uma das normas padronizadas pela Secretaria de Saúde.

Sobre a limpeza da sala pela mãe do paciente, o hospital alegou que a mãe do paciente, de forma espontânea, realizou a limpeza no momento, não aguardando a chegada da equipe do HMPB, que, mesmo após tal ato, fez a higienização do local.

Reportagem: Ulisses Carvalho
ulissescarvalho@grupomgcom.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here