Saae aponta período de ausência dos leituristas como causa dos problemas na leitura de consumo

Moradores de bairros que estão inseridos na região do Pimentas reclamam do descompasso do período de realização da leitura do consumo de água das respectivas residências pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae). De acordo com eles, o intervalo deste ato é de aproximadamente 48 dias. A cobrança das contas tem como base a média de consumo sem que haja a leitura por meio do hidrômetro.

“Não é a primeira vez que atrasam a leitura e mandam a conta em excesso. A minha média de consumo é 6 metros (cúbicos) por mês e veios 16. Eu tenho que pagar o que eu uso. Não existe essa de pagar pela média de consumo”, reclamou o motorista Fábio Novais, 43 anos.

Novais também ressalta uma suposta superlotação no atendimento da unidade do Fácil, localizada no Parque Jurema, em função dos problemas ocasionados no processo de leitura. Contudo, ele afirma que mesmo procurando um órgão oficial indicado pela prefeitura, os moradores encontram dificuldades para obter alguma solução.

“Fui ao Fácil do Parque Jurema e não consegui ser atendido. Estava superlotado. Todo mundo reclamando. Estou indignado com a situação em que o Saae vem nos colocando. Ficaram 48 dias sem fazer a leitura do medidor, e agora quer cobrar o valor integral. Isso é um furto em cima da população e ninguém faz nada”, declarou o motorista.

A autarquia afirma que as contas são realizadas uma vez por mês. Quando este período é ultrapassado,  a leitura – de forma automática – realiza o cálculo ponderado de consumo referente a 30 dias. Desta forma, mesmo que a leitura tenha compreendido um período maior, o cliente pagará pelo consumo estimado para 30 dias. O apurado a mais será cobrado somente na próxima conta.

O Saae ressalta que realiza cerca de 300 mil leituras individuais por mês e descarta a possibilidade de algum munícipe ter sido prejudicado em função da ausência de 60 dias dos profissionais de leitura, que ocorreu foi cessado no final do mês passado. A autarquia acredita que a regularização na emissão de contas deve ocorrer até o início de outubro.

Antônio Boaventura

[email protected]

Foto: Ivanildo Porto