Indígenas reivindicam área próximo a trecho das obras do Rodoanel Norte

Um grupo formado por cerca de 30 indígenas de dez diferentes etnias reivindica uma área do lote 4 das obras do Rodoanel Norte, próximo ao túnel 401, na parte oeste, na avenida Benjamin Harris Hunnicutt, região do Cabuçu. Os indígenas chegaram à área na noite da última sexta-feira (27) e continuam na mata com o objetivo de construir moradias e a “apy”, conhecida como a casa de reza.

Segundo uma das lideranças da etnia Kaimbé, Alex Werá Kaimbé, a área seria cedida pela prefeitura, como parte do Projeto Terra Sagrada, que contaria com a moradia de 50 famílias indígenas, além de trabalhos voltados para a área de educação e saúde. “Esse projeto foi prometido pela prefeitura no início do ano, e no mês de junho, eles mostraram as terras para a gente”, afirmou Kaimbé.

Para chegar até a mata, que apesar de ficar ao lado das obras do túnel do Rodoanel Norte, os índios improvisaram uma trilha para ser utilizada como meio de transporte para as famílias. “Como a Dersa não deixa a gente entrar, nem com crianças, resolvemos improvisar este caminho para facilitar nosso acesso, que já está ameaçado pela empresa”, afirmou.

No último sábado (28), a Polícia Militar chegou a ser acionada para intermediar um possível conflito entre os índios e os engenheiros da obra que realizavam a medição da área, e mesmo após essa conversa, as negociações entre os indígenas e a Desenvolvimento Rodoviário (Dersa), ainda continuam. “Não estamos aqui para parar a obra do rodoanel, e também não ocupamos essa área, nós retomamos nossa terra e nossos direitos”, disse Kaimbé.

Os indígenas também alegam que existe uma articulação com todas aldeias de São Paulo, além de estarem em contato com a Fundação Nacional do Índio (Funai), para intermediar todo esse processo. Segundo Kaimbé, as etnias presentes na mata são os Pankararu, Pankararé, Funi-ô, Wassu-Cocal, Guajajara, Pataxó, Tupi, Kaimbé, Xucuru e Timbirá, além do município possuir uma população indígena entre 1.500 e 1.600 pessoas, divididas em 16 etnias.

Dersa afirma que indivíduos que se a presentam como indígenas ocupam área do empreendimento

A Dersa afirmou que trabalha junto com a construtora responsável pelas obras desse trecho, a empresa Acciona, para a liberação da área, que até momento está ocupada. “Desde a última sexta-feira, (27), um grupo de aproximadamente 20 indivíduos que se apresentam como indígenas ocupou áreas contíguas ao lote 4 do Rodoanel Norte, atingindo também uma faixa de terra pertencente ao empreendimento”.

Já a construtora Acciona afirmou que a empresa mantém tratativas com as autoridades para que a questão seja resolvida rapidamente, e que o fato não interfere nos trabalhos de obra atualmente em curso na região.

O HOJE entrou em contato com a prefeitura, que alegou não ter firmado nenhum compromisso sobre a área, mas que terá uma reunião com os grupos indígenas. “Nesta quarta-feira (01), às 14h, a Secretaria de Assuntos Difusos da Prefeitura de Guarulhos, por meio da Subsecretaria da Igualdade Racial, convocou uma reunião com os líderes indígenas na área reivindicada. Farão parte do encontro representantes da Secretaria do Meio ambiente, Subsecretaria de Comunicação e Proguaru”.

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

Foto: Ivanildo Porto