PM é assassinado com três tiros em padaria no Pimentas

O policial militar Wanderson Silva Correia, 36, foi assassinado com três tiros na manhã desta quinta-feira (02), no banheiro de uma padaria na rua Campo Alegre, no Jardim Arapongas, região do Pimentas. Segundo a Polícia Militar, Correia chegou à padaria junto com o autor dos disparos, em um veículo de modelo Fox.

A vítima foi encontrada pelos policiais sentada no vaso sanitário, com carteira e celular jogados no chão. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), ainda chegou a ser acionado, porém, constatou o óbito no local. Os PMs teriam questionado aos funcionários da padaria, se havia câmeras no estabelecimento, mas como não tinha, realizaram a procura em comércios próximos a padaria, no qual conseguiram as imagens da rua com um açougue.

As imagens recuperadas do açougue pelos policiais teriam mostrado a vítima chegando junto com o suspeito de carro. Os dois teriam permanecido no estabelecimento por mais de uma hora, e quando o PM foi ao banheiro, o suspeito, segundo testemunhas disseram aos policiais, teria sacado a arma na frente das pessoas, verificado se havia munição, e foi em direção ao banheiro, onde teria efetuado três disparos contra o policial militar, atingindo a região da cabeça.

Após efetuar os disparos, o suspeito teria saído da padaria, porém, retornou, foi ao banheiro onde pegou as chaves do carro da vítima, e teria afirmado segundo testemunhas disseram aos policiais, que teria assassinado a vítima porque era policial. Após fugir com o veículo, o suspeito teria abandonado o carro do policial na rua Garça Real, no Jardim Giovana, próximo ao Parque Chico Mendes.

O veículo foi encontrado pela polícia militar e devolvido para a família da vítima. A Guarda Civil Municipal (GCM), chegou a fornecer apoio a pedido da PM na busca pelo suspeito, que teria entrado em uma mata próxima ao parque.
A vítima era policial militar do 19° batalhão da capital. A ocorrência foi registrada no 4°DP, o suspeito está foragido, e o caso está sendo investigado pelo Setor de Homicídios.

Reportagem: Ulisses Carvalho
[email protected]