A gestante Priscila Paiva, 25, alega que a Unidade Básica de Saúde (UBS) Seródio, localizada na avenida Coqueiral, n° 111, no bairro Cidade Seródio, já chegou a perder o prontuário da paciente, além da falta de atendimento, mesmo sendo prioridade, já que é a gestante, além da falta de materiais para o dentista da unidade trabalhar.

“Mesmo com atendimento preferencial, eles não querem me atender”, afirmou a dona de casa, que teria procurado a gerente da unidade, porém, em nenhuma oportunidade estava no local. Priscila alega que as senhas não estão sendo distribuídas mais por falta de funcionários.
Se não bastassem esses problemas, outro motivo também é a falta de clínico, pois ao tentar marcar a consulta para o marido, acabou não conseguindo pelo falta de médico na unidade, isso quando o problema não ocorre com a falta de sistema na UBS.

O HOJE questionou a Secretaria da Saúde, que alegou que a unidade é umas 30 UBSs que oferecem a vacina contra a febre amarela, e que sofre com a grande procura de usuários que tentam se imunizar diariamente, tornando o atendimento e a recepção mais procurado, aumentando o tempo de espera.

“Sobre a distribuição de senhas, informamos que não há limitação para atendimento geral, apenas para a campanha de vacinação contra a Febre Amarela. A UBS Seródio possui um médico clínico para a área tradicional, que se afastou por auxílio doença na segunda quinzena do mês passado, e conta com outros dois médicos do Programa Saúde da Família que atendem normalmente a população residente em suas áreas de abrangência e também pacientes priorizados da equipe tradicional”.

Reportagem: Ulisses Carvalho
ulissescarvalho@grupomgcom.com.br

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here