O vereador Marcelo Seminaldo (PT), presidente da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investigará suposto caso de extorsão que teria sido praticado pelo vice-prefeito Alexandre Zeitune (Rede), informou que uma possível perícia no pen drive que contém fragmentos de áudios que comprovariam a denúncia contra Zeitune dependerá da solicitação das pessoas envolvidas no caso.

Seminaldo foi o autor da denúncia nesta quinta-feira (22) no plenário da Câmara e que culminou na abertura da CEI. Ele recebeu, de forma anônima, os áudios em que o vice-prefeito solicitava a um empresário – segundo a denúncia – R$ 12 milhões. Deste valor, R$ R$ 7 milhões seria para sua campanha ao governo do estado de São Paulo e R$ 5 milhões para a campanha da presidenciável Marina Silva, presidente nacional da Rede.

“Por enquanto ninguém alegou que eles [os áudios] são falsos ou editados. Caberá às partes, caso queiram, fazer essa indagação”, explicou o vereador petista. Ele explicou que os trabalhos seguem o seu rito normal com o prazo de até 90 dias, podendo ser prorrogável por mais 30.
Caso a denúncia seja acatada pela Comissão Especial de Inquérito, uma Comissão Processante definirá se Zeitune será ou não cassado.

Já a assessoria da presidenciável Marina Silva afirmou que ela não tem conhecimento oficial do caso e que o Rede Sustentabilidade não recebeu elementos necessários para uma avaliação criteriosa. Após a abertura da CEI na Câmara Municipal, a Rede Guarulhos lançou nota à imprensa afirmando que Zeitune está sendo vítima de perseguição política.

Antônio Boaventura
antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br
Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here