A idosa Maria Agostinha Chagas, 84, moradora da Vila Galvão, está internada há nove dias aguardando por uma cirurgia no fêmur no Hospital Municipal de Urgência (HMU). De acordo com a família, além da falta de material para a realização do procedimento, médicos também teriam alegado que existe uma fila de 40 pessoas aguardando pela operação com o ortopedista no hospital.

Maria foi internada no HMU no dia 6 deste mês, quando foi transferida da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Paulista para o hospital, após fraturar o fêmur em uma queda dentro da residência na Vila Galvão. “ O hospital não chegou nem a transferir a minha avó para o quarto por que não há leito suficiente”, afirmou a neta Erika Chagas Matos, 38, promotora na área comercial.
A família alega que a idosa no momento está na área da enfermaria, correndo risco de poder pegar alguma infecção hospitalar. “ Esse hospital não tem capacidade para atender a demanda, vi pessoas tomando soro em pé, porque não havia cadeira suficiente”, revelou Erika.

Entre os materiais que estariam em falta são a prótese de titânio e parafusos. A reportagem do HOJE questionou o Instituto Gerir, responsável pela administração do hospital, sobre a possível falta de material e também sobre a fila para a realização da operação. “A situação de fornecimento de material já foi regularizada e mais uma empresa está sendo contratada esta semana, para que todas as cirurgias sejam realizadas”.

Reportagem: Ulisses Carvalho
ulissescarvalho@grupomgcom.com.br

1 COMENTÁRIO

  1. Nossa quantas pessoas estão sofrendo amontoadas nesse hospital antes da suposta reforma não se ouvia falar de tanto descaso assim não ministério público de uma atenção e providências é muito sofrimento TRISTE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here