CNJ adia decisão sobre uniões poliafetivas

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), nesta terça-feira (22), decidiu adiar mais uma vez sobre a questão relacionada à união estável entre duas ou mais pessoas. Após nove pessoas votarem, um dos conselheiros pediu vista, alegando que deveria analisar melhor o que foi apresentado no plenário.

Este assunto está sendo discutido desde o ano de 2016, quando a Associação de Direito das Famílias e das Sucessões (ADFAS), chegou a apresentar um pedido de proibição relacionado a este tipo de união afetiva.

Mesmo com o pedido de vista para analisar melhor do caso, a decisão do CNJ dependerá da maioria dos votos dos 15 conselheiros.

Foto: Gil Ferreira/Agência CNJ