Cresce o número de pichações em lojas e prédios da rua Dom Pedro II, diz comerciante

O número de pichações em prédios e lojas de comércio na rua Dom Pedro II, na região central, cresceu nos últimos dois anos, de acordo com o gerente comercial Marco Antônio Andrade, 50, que trabalha no local há 20 anos. Além da questão da pichação, a falta de segurança principalmente no período noturno também é uma das principais reclamações dos lojistas.

“A noite a única iluminação que tem mesmo é somente a das lojas”, afirmou Andrade, destacando que até no estabelecimento onde trabalha já sofreu com pichações, porém, devido a essa situação, a fachada da loja foi trocada por uma proteção, com o objetivo de evitar a ação de vândalos.

Além desta reclamação, o gerente comercial também aponta que o patrulhamento da polícia também teria diminuído na região. “Tem loja que não tem nem três meses aqui funcionando e já está pichada, e agora também não temos mais policiamento”, destacou Andrade, afirmando que a falta de iluminação na Dom Pedro e em ruas vizinhas, como a Cerqueira César também ajudam a ação dos criminosos, que estariam realizando as pichações no período noturno.

A reportagem do HOJE questionou a prefeitura sobre a atual situação do famoso ‘calçadão de Guarulhos’, porém, a administração municipal preferiu o silêncio e não respondeu sobre os problemas na região. Já em contato com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o órgão afirmou que neste ano não foram encontrados registros de ocorrências de pichação neste ano nas ruas citadas pela reportagem.

“O patrulhamento desenvolvido pela PM, aliado ao trabalho de investigação da Polícia Civil possibilitou a prisão de 385 pessoas e retirada de 16 armas de fogo na área do 1º DP de Guarulhos, nos seis primeiros meses do ano, em comparação ao mesmo período do ano anterior”, afirmou em nota a secretaria.

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]