A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga a conduta e postura do GRU Airport, concessionária responsável pela gestão do Aeroporto Internacional de São Paulo–Guarulhos, em Cumbica, diante da legislação municipal, deverá ouvir nesta terça-feira (4) representantes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para prestar esclarecimentos sobre o fechamento da ponte do rio Baquirivu-Guaçú, em 2013.

A convocação de representantes da PRF se deve ao fato de o coordenador de planejamento de segurança do GRU Airport, Miguel Alves Trindade, afirmar que o fechamento daquele acesso teve a participação dos agentes da PRF que, inclusive, consta em documentos elaborados pelo Ministério Público Estadual (MPE) e Ministério Público Federal (MPF). No entanto, a solicitação de abertura daquela entrada foi arquivada pelos órgãos.

“Nós temos um fluxo muito grande naquela área e, por conta disso, tivemos que fechar o acesso, porque não dava vazão no trânsito de veículos dos terminais de passageiros. A rodovia Hélio Smidt foi construída com essa finalidade”, disse Trindade.

Segundo o coordenador, a decisão de utilizar a ponte como saída de emergência para uso exclusivo do aeroporto foi tomada com o aval da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). A mesma foi fechada em 2013 por conta das obras do Terminal 3, que estava sendo preparado para receber os passageiros que iriam utilizar aquele equipamento durante o período da Copa do Mundo de 2014.

Antônio Boaventura

antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here