Nesta quinta-feira (13), o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) descartou estar realizando auditoria interna nas contas e nos diversos processos realizados no período dos governos de Elói Pietá e Sebastião Almeida, entre os anos de 2000 e 2016. A autarquia classificou este processo, que segundo o superintendente Ibrahim Faouzi El Kadi teria provocado um rombo de quase R$ 5 bilhões, como medidas de austeridade.

Faouzi, que assumiu o comando do Saae em julho, entende que a verba desviada, caso seja confirmada, de R$ 4,8 bilhões, seria suficiente para realizar o tratamento de esgoto em sua totalidade, melhorar a infraestrutura de abastecimento de água em todo município e pagar a dívida que a autarquia possui com a Sabesp. Ele também classificou essa suposta irregularidade como um crime sem precedentes.

A veracidade da conversa que o superintendente teve com funcionários da autarquia e a autenticidade do áudio gravado no encontro realizado no dia 30 do mês passado foram confirmadas pela assessoria do Saae ao HOJE, bem como uma auditoria nos processos de contratação e das contas da empresa durante as gestões petistas. Agora, o Saae informa que jamais falou em auditoria.

Antônio Boaventura

antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto:Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here