Guti reduz à metade cargos comissionados e aumenta eficiência da máquina administrativa

A redução no número de funcionários públicos com cargos de livre provimento, os famosos comissionados, a pouco mais da metade e a sensível diminuição com gastos com alugueis por parte da Prefeitura são duas conquistas do prefeito Guti, ao longo destes três anos e quase três meses de gestão. Em entrevista ao HOJE, o chefe do Executivo mostrou como fez para aumentar a eficiência da máquina administrativa, sem majorar impostos e reduzindo a dívida do município a menos da metade. 

Quando assumiu o cargo em janeiro de 2017, Guti encontrou uma cidade “destruída”, como costuma dizer. “Nós nos deparamos com o município mais endividado do Estado, ´percapitamente´. Eram R$ 7,4 bilhões de dívidas diante de um orçamento de R$ 3,8 bilhões naquele ano. Para piorar, Guarulhos estava sem a CND (Certidão Negativa de Débitos). Isso significava que a cidade tinha o nome sujo”, explicou. Uma das primeiras medidas adotadas pelo novo prefeito foi a redução no número de cargos comissionados, que eram de 1.941 na última gestão do PT para cerca de mil. Em 2013, este número chegou a 2.258. 

Guti conta que somente esta decisão, que teve como objetivo aumentar a eficiência da gestão, ao utilizar um número menor de comissionados, mas em cargos extremamente importante para o bom funcionamento da máquina, gerou uma economia de mais de R$ 230 milhões nos quatro anos de seu mandato. “Fizemos uma verdadeira reengenharia na administração, o que gerou resultados bastante positivos”, disse. 

“Saímos de uma dívida de R$ 7,4 bilhões para menos de R$ 3 bilhões. Isso significa que, em nosso mandato, reduzimos o déficit do município em mais de 50%”, continuou. Guti lembrou que entre 2017 e 2019 a Prefeitura de Guarulhos economizou R$ 7.747.722,21 com locação de imóveis, sem contar a reestruturação de secretarias e coordenadorias. “Juntamos algumas pastas em espaços comuns e devolvemos dezenas de imóveis alugados”.