Covid-19: Preço do botijão de gás sobe mais de 40% após pandemia

Guarulhenses encontram dificuldades para encontrar botijão de gás no município - Crédito: Ivanildo Porto

Antônio Boaventura
[email protected]

Além da pouca oferta, em função das restrições impostas ao comércio como medida de prevenção e combate ao Covid-19, o consumidor também se depara com o abuso econômico praticado pelos estabelecimentos classificados como essenciais. Atualmente, o preço do botijão de gás de cozinha é 45% maior do que aquele praticado antes da pandemia. Ou seja, subiu de R$ 69, valor médio, para R$ 100.

Em algumas localidades da cidade foi possível encontrar a unidade deste insumo por R$ 170. Os bairros com maior queixa da prática abusiva de preços são: Pimentas, Vila Any, Parque Alvorada, Parque Continental I, II e III, Jardim Moreira e Jardim Rosa de França. Neste bairros, os consumidores ouvidos pelo HOJE relatam que o valor cobrado chega até R$ 100, quando há produto para comercialização nestes estabelecimentos.

“Estão vendendo por R$ 100 um botijão. Fui comprar um gás na porta da distribuidora que estava por R$ 70, disseram que não tinha. Mas, eu vi muitos botijões lacrados e pediram pra ligar depois de uma hora pra ver se já tinha chegado gás pra venda. Quando liguei disseram que tinha e que ficaria R$ 100 para entregar”, relatou Edmilson Almeida, 39 anos, técnico em telecomunicação.

Esta também não é somente uma realidade para quem procura os pontos físicos para adquirir o botijão de gás para cozinha. Nas diferentes plataformas disponíveis na internet, os preços também sofreram alterações maiúsculas. Nessa modalidade de acesso, este produto é encontrado por valores que variam entre R$ 74,99 e R$ 89,99, até a última segunda-feira (23). Atualmente, o preço encontrado é de no máximo R$ 110.

Entre setembro de 2017 e outubro de 2018, a justificativa da Petrobrás pela alta no preço deste insumo estava voltada para a queda de braço entre europeus e os produtores do oriente médio, que inflacionaram o valor do combustível [petróleo]. Neste atual momento, não há nenhuma resposta sobre esta alta de valores. Naquela ocasião, o valor médio do produto encontrado era de R$ 52 passou para R$ 65. Ou seja, reajuste de 25%.

Distribuidoras e revendedoras, procuradas pelo HOJE, não quiseram se pronunciar sobre os motivos que fizeram elevar o preço do botijão de gás.