Política: Jesus se acerta com Republicanos e Guti oficializa ida para o PSD

Foto: Divulgação/PMG

Antônio Boaventura
[email protected]

Com o encerramento neste sábado (04) da denominada “janela partidária”, ficou definido o cenário político da cidade de Guarulhos (SP) para a disputa das eleições municipais marcada para o dia 04 de outubro deste ano, que vai eleger prefeitos e vereadores. As principais mudanças aconteceram com os ocupantes do posto maior do legislativo e executivo. Enquanto, o vereador Professor Jesus é o mais novo integrante do Republicanos, o prefeito Guti anunciou a troca do PSB pelo PSD.

Aliás, a sigla comandada nacionalmente por Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo, fisgou não somente o chefe do Poder Executivo guarulhense, mas outras figuras carimbadas da política da cidade. Fazem parte dos quadros os vereadores Ramos da Padaria e Romildo Santos, expulsos do DEM, Thiago Surfista e Luís da Sede, que deixaram o PRTB, Lauri Rocha e Gilvan Passos, ex-PSDB, Serjão Inovação, expulso do PSL, Eduardo Soltur, ex-PSB, e Alexandre Dentista, expulso do DC.

Sem partido desde que foi expulso do DEM em meados de 2018, o vereador Professor Jesus, que acumula simultaneamente a presidência da Câmara Municipal, oficializou o seu ingresso no Republicanos, ex-PRB, do deputado estadual Jorge Wilson. O chefe do Poder Legislativo revelou que recebeu outras propostas, mas optou por aquele que mais se aproxima de suas convicções. “Precisava me filiar à algum partido. Verifiquei vários e gostei de lá”, justificou sua escolha.

Entretanto, outras legendas sofreram mudanças em suas representações. O PSDB manteve suas duas cadeiras no legislativo, porém, com dois novos representantes. Trata-se da vereadora Carol Ribeiro, ex-MDB, e o vereador Rafael Zampronio, que além de deixar o PSB também deixou a base governista do prefeito Guti. Já Eduardo Carneiro, líder da base governista na Câmara, acertou com o Cidadania. Em contrapartida, Moreira será o único integrante do PSL no legislativo e Paulo Roberto Cecchinato é a novidade no PTB.

Se por um lado muitos parlamentares trocaram de partido para a sequência de seus mandatos e também de olho na disputa eleitoral de outubro próximo, outros optaram pela permanência em suas siglas atuais. Este é o caso do vereador Toninho da Farmácia, que ficou no PSD. Assim como ele, estão nas mesmas condições os vereadores Sérgio Magnum (Patriota), Wesley Casa Forte (PSB), que deve ganhar a companhia de Acácio Portella, Rômulo Ornelas, Marcelo Seminaldo, Janete Pietá, Genilda Bernardes, José Luiz e Maurício Brinquinho, ambos do PT, João Dárcio (Podemos), Betinho Acredite (PTB), Lameh Smeili (MDB), Laércio Sandes (DEM) e Pastor Anistaldo (PSC).

Dos 34 vereadores eleitos no processo eleitoral de 2016, 20 deixaram os partidos pelo qual foram eleitos. Ou seja, 59% dos representantes políticos que exercem mandato na Câmara Municipal. Além do Cidadania, PROS [Eduardo Barreto] e PSOL [Edmílson Souza] são siglas que passaram a ter representação legislativa com o processo de mudança de partidos. Já o PSD, partido que abrigou o prefeito Guti, com dez vereadores passa a ter a maior bancada na Câmara, seguido do PT, que tem seis.