Envolvidos na morte de ex-jogador em 2019 são presos em Guarulhos

Foto: Reprodução/SBT

Os dois criminosos suspeitos de envolvimento na morte do ex-jogador Wellington Celli, na cidade de Catanduva, em julho de 2019, foram presos em Guarulhos.

O caso ganhou repercussão pela crueldade como o ex-atleta e empresário foi assassinado: Celli foi morto na frente dos familiares após recusar entregar as correntes de ouro que usava aos bandidos.

Nelson Batista de Brito, de 47 anos, e Jefferson Coutinho dos Santos, de 38, foram presos em Guarulhos. O primeiro estava em casa, cuidando do filho. O segundo estava em um centro religioso. De acordo com as investigações, oito homens estão envolvidos no latrocínio.

Imagens de câmeras de segurança registraram o crime, durante a madrugada. Quatro bandidos entraram pelo muro da casa, que fica em um condomínio fechado. A câmera também flagrou a fuga, e dois suspeitos estavam armados. Um deles deixou cair uma faca. Um carro dava cobertura, no lado de fora da casa. 

Wellington Celi estava dormindo quando foi surpreendido. Sem entregar as joias que usava, foi baleado com quatro tiros na frente da esposa e dos filhos, um menino de 9 anos e um bebê de 3 meses, na época. Os criminosos fugiram sem levar nada.

Com a prisão de Brito e Santos, em Guarulhos, são seis os detidos: outros quatro integrantes da quadrilha foram presos na época do crime e dois estão foragidos. De acordo com a polícia, a Justiça vai determinar a condenação dos envolvidos.