Obras para o tratamento de esgoto avançam em Guarulhos

Foto: Divulgação/Sabesp

Uma série de obras de coletores-tronco em execução em Guarulhos deverão ser finalizadas durante 2022 e irão melhorar ainda mais o tratamento de esgoto em todas as regiões do município. Trata-se de um investimento de R$ 70 milhões da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), que assumiu o tratamento na cidade em 2019 após firmar parceria com a Prefeitura.

Os coletores-tronco levam o esgoto para uma das cinco estações de tratamento (ETEs) que atendem Guarulhos, três na própria cidade (São João, Bonsucesso e Várzea do Palácio) e duas em São Paulo (Parque Novo Mundo e São Miguel). O coletor da avenida Natália Zarif, por exemplo, atenderá uma população estimada em 37,7 mil pessoas e apenas ele será responsável por tratar 2,46% do esgoto de Guarulhos.

Já o coletor Zapara, que levará o esgoto à ETE Parque Novo Mundo, atenderá 43,1 mil pessoas e responderá pelo tratamento de 2,81% de todos os dejetos produzidos na cidade. Há ainda coletores no Lavras, no Jardim Jade e no Parque Residencial Bambi que, somados, atenderão 27,1 mil pessoas e irão tratar 1,78% do esgoto de Guarulhos.

Todos os coletores citados já estão com obras em andamento. Contudo, há outros que começarão a ser construídos já no ano que vem e que também irão promover uma melhora considerável nos índices de saneamento básico de Guarulhos. Serão outros seis coletores-tronco que, juntos, responderão pelo tratamento de 14,93% do esgoto da cidade, o que representará 230 mil pessoas atendidas.

“A cidade de Guarulhos nunca viu tantos investimentos no tratamento de esgoto”, resume o prefeito Guti. Ele se refere, além das obras já citadas, às duas ETEs a ser construídas no município, Cabuçu e Fortaleza, que deverão ser entregues até 2025, e também à Unidade de Recuperação da Qualidade (URQ) da água do rio Tietê, já em implantação na Ponte Grande, que responderá, sozinha, pelo tratamento de 30% do esgoto de Guarulhos e que atenderá 462 mil pessoas. As novas ETEs terão um investimento de R$ 40 milhões e a URQ, de R$ 68,5 milhões.

As obras citadas visam a melhorar a qualidade da água do rio Tietê, mas o coletor-tronco Zapara tem um benefício adicional. Após tratar na ETE Parque Novo Mundo o esgoto das regiões de Vila Galvão e Gopoúva, principalmente, a água retornará limpa à foz do rio Cabuçu de Cima, que fica no limite de Guarulhos com a Zona Norte da capital.

Intervenções do tipo coletores-tronco encerram certo grau de complexidade não apenas porque são realizadas debaixo da terra, mas também pelo fato de que, mesmo após prontas, ainda é necessário fazer as interligações com as residências, comércios e indústrias para que o esgoto comece de fato a ser tratado. Os prazos e números apresentados ao longo do texto referem-se a obras já prontas, com as interligações. Por mês, a Sabesp faz uma média de 7,5 km de obras para o tratamento de esgoto em Guarulhos.