Estudo da Agende aponta queda de mais de três mil postos de trabalho na indústria

Guarulhos perdeu entre os meses de janeiro e agosto deste ano 3.142 postos de trabalho na indústria de transformação. Ainda assim o resultado é melhor do que o observado em igual período de 2015 quando houve queda de -7,13%, o que representa 7.344 postos negativos de trabalho.
A constatação faz parte do boletim informativo “Indústria de Transformação – emprego em Guarulhos 2016”, elaborado pelo Núcleo de Pesquisa da Agende. Segundo a publicação, a indústria de transformação em Guarulhos diminui a intensidade da queda dos empregos no mês de agosto deste ano, atingindo evolução negativa de 0,11%, ante 0,81% do mesmo mês do ano anterior.

Na cidade, os maiores setores que compõem parte do quadro negativo de postos são fabricação de eletrodomésticos (-49), fabricação de máquinas e equipamentos de uso geral (-38), fabricação de artigos de malharia e tricotagem (-32) e fabricação de máquinas e equipamentos de uso industrial específico (-29).

Em termos relativos, a participação percentual de Guarulhos na indústria de transformação cai gradualmente desde 2010 no estado. Participava com 4,14% da mão de obra nesse ano e em agosto de 2016 caiu para 3,69%, acumulando a perda de 24.057 postos de trabalho nesse período ou 7,69% dos desligamentos ocorridos no estado (-313.035). Todavia, continua a ter saldo negativo, porém, positivamente observa-se que existe uma tendência de estabilização na queda.

O levantamento destaca ainda, que as projeções econômicas indicam para este ano queda superior a 3% da atividade econômica. Para 2017, é esperado pequeno crescimento de 1%. Esta informação é corroborada pelas sondagens que aferem o ânimo dos empresários para novos investimentos, as quais apontam para maior propensão a investir. Estes fatores têm impacto nos fluxos dos próximos meses e na recuperação dos estoques na indústria.