Permissionários de micro-ônibus protestam contra a prefeitura por subsídios atrasados

Os permissionários, que operam os micro-ônibus em Guarulhos, fizeram manifestação em frente à Secretaria de Finanças de Guarulhos, na avenida Salgado Filho, na manhã desta quinta-feira (13) contra o atraso de pagamentos por parte da prefeitura.

Segundo o presidente da Cooperativa de Transportes de Guarulhos (Coopertransguaru), Antônio Nilson Santos Borges, o Alemão do Transporte, os subsídios devidos pela prefeitura neste ano chegam ao valor de R$ 4 milhões. De acordo com ele, no ano passado, o montante chegou a R$ 10,5 milhões.
“Vamos fazer pressão até que a prefeitura decida negociar conosco todos os subsídios atrasados. Pelo menos queremos receber o montante que era para ter sido pago na última terça-feira”, disse Borges.
Ainda segundo o presidente, são mais de 120 cooperados que estão sendo prejudicados. Para suprir a demanda de pagamentos dos funcionários, Borges afirmou que o valor mensal correto deveria ser por volta de R$ 1 milhão. No entanto, a quantidade pode ultrapassar esse valor.

“O valor varia muito conforme o mês de trabalho dos permissionários. Não temos uma quantidade precisa” complementou. O permissionário Thiago Rosa, de 29 anos, que trabalha na linha Vila Any-Terminal Pimentas, explicou que o protesto também visa reivindicar, além dos salários, melhores condições de trabalho.

“Estamos recebendo multas abusivas por parte da administração municipal. A falta do dinheiro também prejudica o serviço no sentido de não conseguirmos fazer as manutenções dos ônibus”, disse.
O também permissionário Thiago Parreira, 36, que faz a linha Vila Galvão-Jardim Novo Recreio, ressaltou que tira dinheiro do próprio bolso para realizar a manutenção dos veículos. “Estou tendo muito prejuízo. Tenho que pagar a manutenção do micro-ônibus sozinho”. Até a conclusão desta edição, a prefeitura não se manifestou.

Reportagem: Leticia Lopes
Foto: Ivanildo Porto