Polícia Civil liberta homem que teria ficado 20 anos preso por familiares

***FOTO EMBARGADA PARA USO EM INTERNET/OUT CAPA DIÁRIO DE SP*** GUARULHOS, SP - 24.10.2016: VIOLÊNCIA-SP - Ederson Cleber da Silva Neves, amigo de infância de Armando posa para foto com a carteira de identidade dá vitima - Um homem de cerca de 36 anos foi resgatado pela Polícia Civil, na última quinta-feira (21), após passar quase 20 anos preso, acorrentado, em uma edícula no Jardim Leblon, região dos Pimentas, em Guarulhos (Grande SP), segundo vizinhos da família. A polícia confirmou que investiga cárcere privado e outros crimes, mas não forneceu mais detalhes. O pai e a madrasta da vítima, além do filho dela, fugiram e são procurados pela polícia. Segundo vizinhos, a vítima é Armando Bezerra de Andrade. Eles contam que ele era um garoto comum: estudava na escola do bairro e tinha boa relação com amigos. Mas, quando adolescente, sofria abusos físicos da madrasta e chegava a apanhar no meio da rua. Segundo eles, entre os 16 e os 17 anos de idade, ele desapareceu. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

A Polícia Civil está investigando o caso de Armando Bezerra de Andrade, de 36 anos, encontrado na última quinta-feira (20), no Jardim Leblon, numa casa em que supostamente a sua própria família o mantinha em cárcere privado. A princípio, o delegado Celso Marchiori, titular do 8º Distrito Policial, descarta a possibilidade de o homem ter permanecido por 20 anos em cárcere, pois acredita que ele não teria sobrevivido devido, principalmente, à insalubridade do local.

Andrade foi localizado por policiais que investigavam uma denúncia de roubo na região. “A princípio pensávamos que o caso era somente de roubo no local. Quando os policiais encontraram o Armando, pensaram que ele era apenas uma vítima de ladrões”, disse Marchiori.
Como ele [Andrade] estava muito debilitado, os policiais, imediatamente, o levaram ao Hospital Pimentas Bonsucesso. A polícia aguarda o resultado dos exames toxicológicos para saber se a vítima era usuário de drogas.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a vítima deu entrada no hospital na noite de quinta, com quadro de aparente desnutrição. Segundo o HOJE apurou, Andrade está na ala psiquiátrica, mas ainda não se sabe seus problemas de saúde foram motivados por suposto uso de drogas ou mesmo por conta da situação em que foi encontrado – amarrado à cama, com uma barba e unhas enormes, além de muito debilitado fisicamente.

Amigos se revoltam e picham casa da família

De acordo com o aposentado Ademir Ivanez, 62, morador do bairro há 30 anos, Armando era uma pessoa tranquila e que “sumiu”, há pelo menos 18 anos. “Ele era tranquilo, responsável, inteligente e, de repente, não apareceu mais. A gente perguntava dele para a família e todos agiam de um modo estranho; uma hora diziam que ele estava em Itaquaquecetuba, em São Paulo; depois que se mudou para Pernambuco”, afirmou o aposentado.

O pai de Andrade já se apresentou à polícia no mesmo dia que o filho foi localizado. Ele relatou que o filho era usuário de drogas e que morou na rua até os 36 anos. No entanto, ainda faltam depoimentos da madrasta, do irmão e dos vizinhos à polícia.
Revoltados, os vizinhos picharam a casa da família com as palavras “Justiça”, “Três safados” e “#Armandinho”, no último sábado (22), em protesto.

O amigo de infância da vítima, Ederson Cleber da Silva Neves, posou para a reportagem com a carteira de identidade de Andrade. A polícia também investiga a denúncia de que o homem, quando adolescente, sofria abusos físicos da madrasta e chegava a apanhar no meio da rua.

Reportagem: Leticia Lopes
Foto: Ivanildo Porto