Após 49 dias, Legislativo voltar a ter sessão encerrada por falta de quórum

Mesmo com poucos temas para serem debatidos, os parlamentares optaram por encerrar a sessão ordinária desta quinta-feira (20) da Câmara Municipal de Guarulhos por falta de quórum. Substituto do vereador Eduardo Soltur (PSD) na presidência do Legislativo, que está afastado dos trabalhos por motivos pessoais, Pastor Anistaldo (PSC) encerrou os trabalhos por número insuficiente de vereadores no plenário.

Entretanto, era visível que havia quantidade suficiente para a continuidade dos trabalhos na Casa de Leis. O HOJE contabilizou 25 vereadores no plenário ás 14h50. Contudo, após abertura da votação dos projetos em pauta, apenas 17 deles optaram em votar. Como não foi registrada a presença mínima de 18, a sessão acabou encerrada.
“Na condição de presidente preciso resguardar o Regimento Interno, e por isso encerrei a sessão. Mas, após encerrar, chamei os líderes da Casa e os informei que isso não é bom para os trabalhos, principalmente por estar em véspera de feriado”, explicou Pastor Anistaldo.

Na pauta desta quinta-feira estavam apenas cinco propostas para votação e outros oito requerimentos. No entanto, estes terão sua avaliação e discussão adiada para a próxima terça-feira (25). Anistaldo entende que esta manobra prejudica o andamento das atividades da Câmara e os interesses da sociedade guarulhense.

“Entendo que são prejuízos em que podemos considerar como irreparáveis quando se trata dos assuntos da Casa e de projetos importantes que virão para que a gente vote. Os requerimentos que estavam na pauta eram de votação simbólica, deliberei, houve entendimento dos líderes e não teve quórum na votação”, concluiu.
A primeira sessão parlamentar desta 17ª legislatura da Câmara Municipal foi encerrada por falta de quórum (número insuficiente de vereadores no plenário) no dia 2 de março.

Reportagem: Antônio Boaventura
[email protected]