Share
Operação Inconfidência prende dois Integrantes da facção criminosa PCC

Operação Inconfidência prende dois Integrantes da facção criminosa PCC

Investigação: Participaram 280 policiais e 115 viaturas, entre eles agentes do 4° Distrito Policial, que partiram do Internacional Shopping Guarulhos

A Polícia Civil deflagrou na madrugada desta segunda-feira (15) a Operação Inconfidência, que teve como objetivo desarticular uma célula da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) que atua dentro e fora dos presídios. A ação contou com policiais civis do 4º Distrito Policial de Guarulhos, onde estão presos dois homens suspeitos de serem articuladores da facção. Participaram 280 policiais e 115 viaturas, que partiram do Internacional Shopping Guarulhos.

No balanço final da operação, nove pessoas estão presas e 22 foragidas, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP). O nome da operação se refere ao bairro onde ela ocorreu, que leva o nome do líder da Inconfidência Mineira – Cidade Tiradentes, bairro extremo da zona leste da capital. Também foram apreendidos 3 quilos de maconha.

Os policiais tinham em mãos 31 mandados de prisão a serem cumpridos em diversas regiões da Grande São Paulo e capital. A operação começou por volta das 5h e seguiu com destino à zona leste da capital paulista, em especial, ao bairro Cidade Tiradentes, onde segundo a polícia funciona uma das células do tráfico de drogas do PCC.

Foram também expedidos outros 56 mandados de busca e apreensão. Na operação, a polícia prendeu um libanês, Mohamad Hassan Atris, conhecido como “Hesbolah”, que – segundo os policiais – coordenava o tráfico de drogas na zona leste, e Michel Ferreira Barbosa, o Gordão, que era conhecido como “disciplina”. Este seria responsável pelos julgamentos daqueles integrantes que infligiam suas leis internas.

Sob o comando do delegado Fernando Santiago, policiais do 4º DP passaram um ano investigando o funcionamento desta célula da facção. Os agentes encontraram nos endereços computadores, drogas e cartas com determinações a serem cumpridas pelos integrantes da facção que estão em presídios do estado.

“Dos nove presos, sete estão no sistema carcerário prestes a sair. O objetivo era o de obter o maior número de informações possíveis sobre a facção investigada. Consideramos que a operação foi um sucesso”, explicou Santiago.

Reportagem: Antônio Boaventura
antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Foto: Ivanildo Porto

Deixe seu Comentário