Proguaru pode assumir obras inacabadas de quatro unidades do CEU em Guarulhos

A solução para os problemas que ocasionaram a paralisação das obras de quatro unidades do Centro de Educação Unificados (CEU) pode ser caseira. A Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A (Proguaru) deve assumir as obras. Durante audiência pública da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o secretário de Educação, Esporte, Cultura e Lazer (Secel), Alexandre Zeitune, afirmou que os contratos passam por revisão.

Apesar da possibilidade, a Proguaru só poderia assumir os trabalhos após a obtenção da Certidão Negativa de Débitos (CND), que de acordo com declarações de seu presidente, Leonardo Lago, durante a LDO está prestes a ser conquistada. No entanto, Lago não revelou qualquer prazo para que esta ação seja concluída. A inclusão da empresa de capital misto no cadastro negativo se deu em função de dívidas acumulada ao longo dos anos com a Previdência.

Segundo apurou o HOJE, a empresa dispõe da quantia aproximada de R$ 100 milhões. Este valor seria utilizado na reconstrução ou continuidade das obras dos Ceu’s Bonsucesso, que foi orçado em R$ 43 milhões e já consumiu R$ 20 milhões, Itapegica, Parque Continental, unidade que está em processo de avaliação de custo realizado em conjunto com o governo federal, e o Parque São Domingos, que tem a Proguaru como responsável pela obra.

Caso seja aprovada, esta não será a primeira vez em que a Proguaru irá concluir uma obra iniciada por alguma empresa contratada pela administração municipal. Orçado inicialmente em R$ 34 milhões, o viaduto Cidade de Guarulhos, que teve suas obras iniciadas pela Construções e Comércio Camargo Corrêa, foi finalizado pela empresa de capital misto em 2008. O custo final foi de quase R$ 100 milhões.
Em contrapartida, a Proguaru negou a possibilidade de assumir as obras das unidades que estão paralisadas. A empresa ainda explica que, a retomada de qualquer obra passa por uma solicitação da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, e eventual contratação direta. Neste momento, não existem tratativas.

Reportagem: Antônio Boaventura
[email protected]

Foto: Ivanildo Porto

- PUBLICIDADE -