Implantação da AME Mais depende da conclusão de projeto realizado entre Estado e município

A implantação da unidade Ambulatorial Médica de Especialidades (AME Mais) no município de Guarulhos depende da conclusão de projeto, que está sendo realizado entre as secretarias da Saúde do governo do estado e municipal. Segundo apurou o HOJE, o prédio que abrigava a secretaria de Educação, no bairro Macedo, deve receber as instalações.

Segundo a Prefeitura, por meio da secretaria de Saúde, o município trabalha em conjunto com o governo do estado, representado nesta operação por engenheiros e arquitetos, para a conclusão do projeto, que tem como propósito viabilizar a implantação da inédita unidade do programa de saúde estadual AME Mais.
Diante deste quadro, a Administração Pública ressaltou que apenas após a conclusão do projeto é que será possível conhecer os custos para a implantação da referida unidade de saúde e também a previsão para a inauguração da mesma, que deve ser instalada na antiga estrutura da secretaria de Educação, localizada no bairro Macedo, assim como a atual.

Apesar da indefinição sobre a implantação da unidade, o secretário de Saúde, Sérgio Iglesias, disse, dias atrás, que em 2019 será inaugurada a AME na cidade. As negociações para a implantação da unidade iniciaram-se no final de fevereiro. Na mesma ocasião, o prefeito Guti (PSB) revelou que as obras da unidade começam no próximo ano.

Já o governo do estado, por meio do Departamento Regional de Saúde (DRS) da Grande São Paulo esclarece que a implantação de um Ambulatório Médico de Especialidade (AME) em Guarulhos requer o cumprimento de uma série de etapas, como definição de projeto assistencial e de imóvel apropriado, por exemplo.
Os AMEs são unidades de alta resolutividade, com modernos equipamentos, que oferecem consultas, exames e, em alguns casos, cirurgias em um mesmo local, proporcionando maior rapidez ao diagnóstico e ao tratamento dos pacientes. O novo modelo começou a ser implantado em 2007 no estado; atualmente há 55 AMEs, sendo 30 deles AMEs Mais.

Reportagem: Antônio Boaventura
[email protected]