Gaeco Guarulhos consegue condenação de 19 pessoas por tráfico e lavagem de dinheiro

O núcleo de Guarulhos do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) obteve a condenação de 19 pessoas denunciadas no âmbito da Operação Revolução, que investigou crimes de tráfico de entorpecentes, extorsão, estelionato, latrocínio, lavagem de dinheiro e contra a administração pública.

De acordo com a denúncia, assinada pelos promotores de Justiça Carolina Zanin Lopes, Tatiana Callé Heilman e Eduardo Neves Canto Neto, os réus se associaram para traficar substâncias ilícitas nas imediações e nas dependências da penitenciária José Parada Neto, em Guarulhos. O grupo agiu ainda para dissimular a origem criminosa de recursos financeiros oriundos do tráfico.

Segundo o apurado, os condenados fazem parte de organização criminosa que tem como principal reduto a unidade prisional citada, possuindo integrantes também no CDP III de Pinheiros e na unidade de regime semiaberto do Belém, além de grupos menores de membros em presídios do interior do Estado. A organização conta ainda com integrantes que estão fora do sistema prisional, “responsáveis pelo ingresso de drogas, armas de fogo, aparelhos celulares, carregadores, chips e tablets nas unidades carcerárias e pela arrecadação, movimentação e lavagem de dinheiro dos valores advindos das práticas espúrias da organização criminosa”. A condenação ocorreu na última terça-feira (8).