O deputado federal Major Olímpio (SD-SP) mudou sua caminhada política para as próximas eleições. Quando todos pensavam que ele seria candidato à reeleição, o parlamentar surpreendeu e anunciou com exclusividade ao HOJE, nesta sexta-feira (9), durante visita a Guarulhos, que é pré-candidato a uma das duas vagas ao Senado pelo estado de São Paulo.
“Sinceramente, pensava em tentar mais um mandato na Câmara e, depois, deixar o cabelo crescer, colocar um brinco e ser um caiçara em Ilha Bela (litoral paulista)”, brincou Olímpio.

Mas seus planos mudaram após as conversas que teve com o presidente nacional do Patriotas-51, Adilson Barroso, e com a colega de Câmara, Renata Abreu, presidente nacional do Podemos – com ela, o encontro aconteceu nesta quinta-feira (8). Os dois ofereceram a Olímpio a legenda para disputar uma vaga para o Senado Federal. Ele também foi sondado pelo PSL, do presidenciável Jair Bolsonaro. Caso aceite o desafio, o deputado federal deixará o Solidariedade.
“Fiquei honrado com o convite e [ele] me deu ânimo. Hoje nós temos em São Paulo nomes desgastados que tentarão a eleição para o Senado, e tenho condições de discutir todos os problemas do nosso estado com a população. Então estou lançando agora, em primeira mão, minha pré-candidatura ao Senado”, enfatizou.

Mas, a escolha da legenda ainda não foi feita, muito embora, quando se referiu ao Podemos, os olhos de Olímpio “brilharam” um pouco mais, e ele explicou: “o número do partido é 19, se eu sair candidato por esta legenda, terei que colocar o número 0 junto ao número do Podemos. Então, ficará Major Olímpio 190, ou seja, de certa forma, uma referência aos 40 anos de trabalho que tenho na Polícia Militar e que tanto me orgulha”.

Na conversa com o Patriotas, Major Olímpio recebeu ainda a possibilidade de sair candidato ao governo do estado, sonho que, aliás, o persegue desde que entrou na política. Mas, o parlamentar reconhece que uma campanha ao Palácio dos Bandeirantes deverá ser adiada. “Hoje, na atual conjuntura, o Senado é a minha possibilidade real, seria mais viável”, observa.

Relacionamento atual com o Solidariedade é de desconforto

Quando falou sobre o Solidariedade, partido que ingressou após convite do amigo Paulinho da Força, Major Olímpio fez questão de dizer que o relacionamento é amistoso e cordial, mas reconheceu também ser de desconforto, principalmente pela posição política da legenda em várias votações na Câmara que vai de encontro a alguns princípios preservados pelo parlamentar.

“O Solidariedade é base do governo Temer e votei pelo impeachment do presidente contrariando a indicação do partido, até porque passei 29 anos de minha vida como policial militar correndo atrás de ladrão”, alfinetou. “Até o momento, o partido vem respeitando as minhas posições, apesar delas gerarem desconforto em muitas situações”.
Outro ponto de constrangimento entre Major Olímpio e o Solidariedade é a decisão do partido de integrar a base de apoio do governador Geraldo Alckmin (PSDB). “Eu não tenho o Alckmin como adversário político, eu o tenho como meu inimigo”, enfatizou.

Reportagem: Gil Campos
gil.campos@freesaopaulo.com.br
Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here