Antônio Boaventura

antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

O que seria do ser humano sem a água? Ela é essencial para a qualidade de vida da população e se tornou um dos maiores desafios de Guarulhos que, nos últimos 50 anos, sofreu graves consequências pela falta de planejamento no setor de abastecimento e tratamento de esgoto.

Agora, ao completar 458 anos, a cidade se prepara para, junto com 2019, entrar numa nova era na questão da água, principalmente no que diz respeito ao abastecimento de mais de 1,3 milhão de habitantes e ao tratamento de esgoto.

A partir de janeiro, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), umas das empresas da área de abastecimento mais respeitada do mundo, assumirá a gestão, hoje sob a responsabilidade do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), pelos próximos 40 anos.

A vinda da Sabesp para a segunda maior cidade do estado de São Paulo trará investimentos na ordem de R$ 3 bilhões para manutenção e modernização da rede de distribuição e tratamento de esgoto, garantiu uma nova negociação da dívida de R$ 3,2 bilhões entre a autarquia e a companhia estadual e realizará um dos maiores sonhos das milhares de famílias de várias regiões do município: acabar com o rodízio de água.

No dia 21 de setembro, o governador Márcio França veio a Guarulhos para assinar o contrato da nova gestão de abastecimento e tratamento de esgoto com o prefeito Guti (PSB) e anunciar o fim do rodízio em todo o município.

No mês seguinte, após aprovação pela Câmara Municipal, Guti sancionou a lei 7656/2018, que trata da concessão da autarquia à companhia estadual e, na próxima terça-feira (dia 11), o contrato de concessão entre o Saae e a Sabesp deverá ser assinado em solenidade no Paço Municipal, conforme anunciou o próprio prefeito durante evento nesta sexta-feira (7).

A partir daí, a Sabesp irá assumir 100% do abastecimento de água e realizar 48% do tratamento de esgoto, a partir das estações de tratamento São Miguel Paulista e Parque Novo Mundo. Segundo cronograma estabelecido, a região do Pimentas e Centro terão o rodízio encerrado de forma definitiva em até 100 dias para cerca de 400 mil pessoas. Em até 180 dias, Cabuçu, Parque Continental e Picanço devem ser beneficiadas e a região de Bonsucesso até setembro de 2019..

“O planejamento é que até o final do ano que vem todos os bairros de Guarulhos sejam abastecidos diariamente. E, em paralelo, vamos tratar o esgoto da cidade”, enfatizou o governador.

Adutoras devem ser construídas para zerar o rodízio no município

Para zerar o rodízio em toda a cidade até o final de 2019, a Sabesp deverá construir novas adutoras entre São Paulo e Itaquaquecetuba até Guarulhos, para levar mais água às regiões de Cumbica, Pimentas e Bonsucesso.

Outras regiões deverão ser beneficiadas com reforço no abastecimento ao sistema Gopoúva e ao Cabuçu, com novas ligações a partir de São Paulo. Haverá também a construção de reservatórios em pontos estratégicos da cidade.

O Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Guarulhos compra da companhia estadual 87% da água que é distribuída na cidade. Outros 13% são garantidos pelo próprio município. A partir do próximo ano, a Sabesp terá a missão de abastecer de forma plena toda cidade.

 

 

Benefícios da Sabesp na cidade de Guarulhos

 

– Fim do rodízio em todo o município;

– Guarulhos terá investimentos de R$ 1,7 bilhão no abastecimento de água;

– A cidade também terá investimentos de R$ 1,3 bilhão em coleta e tratamento de esgoto;

– Suspensão da dívida de cerca de R$ 3,2 bilhões do município com a Sabesp;

– Modernização dos serviços de abastecimento de água e tratamento de esgotos na cidade.

 

 

Metas são modernizar sistema de abastecimento e aumentar coleta

Após assumir a gestão do Saae na cidade, a Sabesp também terá como objetivo modernizar o sistema de abastecimento de água no município. Uma das medidas a serem adotadas será a inclusão da rede municipal aos demais sistemas produtores de água. Dessa forma, a cidade passará a integrar o Sistema Integrado Metropolitano (SIM) da empresa de capital misto.

A companhia estadual entende que a distribuição será mais eficaz e ágil, além de garantir maior segurança hídrica. Além do fornecimento de água, a empresa também tem como responsabilidade ampliar o tratamento e coleta de esgoto, que atualmente é de apenas 7%. Para atingir tal resultado, a empresa pretende ampliar as tubulações de abastecimento de água e construir novos reservatórios.

Parte do esgoto dos moradores terá como destino as estações da Sabesp localizadas nos bairros de São Miguel Paulista, extremo leste da cidade de São Paulo, e Parque Novo Mundo, na zona norte, por conta da proximidade com o município. A empresa prevê com essa medida a redução de rejeitos e dejetos nos rios Baquirivu-Guaçu e Cabuçu.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here