Ex-candidato ao governo de SP acumula grande número de faltas na Prefeitura de Guarulhos

O ex-candidato ao governo de São Paulo pelo PRTB, Rodrigo Tavares, vem acumulando um exorbitante número de faltas na Prefeitura de Guarulhos, onde exerce o cargo de Agente de Serviços de Saúde (controle de zoonoses e dengue). Informações levantadas pelo HOJE mostram que Tavares, genro do ex-presidenciável Levy Fidelix, registra no seu prontuário cerca de 50 faltas injustificadas acumuladas nos últimos 12 meses no serviço público municipal.

As faltas, segundo informações, não estão contabilizadas na licença para campanha eleitoral autorizada pelo prefeito Guti (PSB) por meio da portaria 1255/2018 assinada no dia 13 de julho do ano passado, que o liberou da função na Secretaria de Saúde entre os dias 7 de julho a 7 de outubro. Ele terminou o primeiro turno das eleições em sétimo lugar na disputa ao governo de São Paulo, ao obter 649.729 votos.

Caso o servidor atinja o número de 70 faltas injustificadas, ele poderá sofrer um processo de exoneração por desídia, que seria falta de zelo em relação ao serviço público municipal.

A Prefeitura de Guarulhos foi questionada a respeito das faltas de Tavares e, por meio de nota, apenas confirmou que “Rodrigo Tavares da Silva ocupa o cargo de Agente de Serviços de Saúde, concursado pelo Regime CLT. A data de admissão é 13/04/2009”.

No Portal da Transparência da prefeitura consta, referente ao mês de dezembro do ano passado, que o servidor tem remuneração de R$ 6.979,74. Que teve adiantamento de R$ 485,74, descontos de R$ 6.158,98, e que recebeu líquido R$ 335,78.

Tavares afirma que tem banco de horas aguardando homologação

Em contato com a reportagem no início da noite desta segunda-feira (14), o ex-candidato ao governo de São Paulo, Rodrigo Tavares da Silva, disse que não existem faltas no seu trabalho na Prefeitura de Guarulhos, mas sim um acordo de compensação do banco de horas da prefeitura que ele está aguardando homologação.

“A prefeitura não paga horas extras e tenho um banco de horas aguardando homologação. Meu horário no serviço público municipal é das 7h às 13h. Então tenho que verificar com cuidado essa questão para não me deparar com descontos indevidos”, observou Tavares.

Ele ainda informou que, no ano passado, o ponto eletrônico da prefeitura, por meio da digital, apresentou problemas e que será verificado também essa questão. “Preciso ver se no período em que constam as supostas faltas a digital estava ou não funcionando”, afirmou.

Foto: Gabriel Cardoso/SBT