Em Guarulhos, 44 mutuários da CDHU regularizaram dívidas contraídas durante pandemia

Da Redação
[email protected]

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), vinculada à Secretaria de Estado da Habitação, regularizou a situação financeira de 3.046 mutuários que ficaram inadimplentes no ano passado em razão da covid-19 e aderiram ao acordo oferecido pela companhia para quitar suas dívidas com isenção de multa, juros e correção. Em Guarulhos, 44 mutuários aderiram ao acordo, sendo que 30 deles quitaram o débito à vista e 14 optaram por parcelar a dívida.

Deste total, 2.130 mutuários optaram por quitar os débitos à vista com isenção de multa e juros por atraso. Outros 916 mutuários preferiram pelo parcelamento da dívida, sem cobrança de entrada e também de multa e juros por atraso, sendo que o pagamento da primeira parcela tem carência de 30 dias. Os valores renegociados atingiram R? 2,4 milhões, que serão reinvestidos pela companhia na construção de mais moradias populares.

Essas condições especiais foram oferecidas a um total de 11.970 mutuários que estavam em dia com suas prestações até dezembro de 2019, mas que por conta da pandemia deixaram de pagar suas prestações a partir de 2020. Os mutuários que seguem com seus débitos abertos e se encaixam nestas condições oferecidas pela CDHU ainda podem aderir ao acordo. Para obter mais informações, o interessado deve acessar o site www.cdhu.sp.gov.br ou ligar para o Alô CDHU (0800 000 2348).

O secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary, ressaltou a importância dessa ação de regularização dos débitos promovida pela CDHU. “Além de ajudar os mutuários a preservar seu bem maior, que é a casa própria, essa medida também garante a recuperação de recursos que serão aplicados na construção de mais moradias populares”. O secretário destacou, porém, que a maioria dos contratos administrados pela Companhia está adimplente.

Para Reinaldo Iapequino, presidente da CDHU, “o objetivo do programa habitacional de interesse social do governo do Estado é garantir moradia digna às pessoas que mais precisam. É justamente essa parcela de mutuários a mais afetada pela crise e que agora passa a receber um atendimento diferenciado por parte da CDHU para ajudar a superar este momento de dificuldade”, explicou.