Profissionais da saúde são maioria em fila de vacinação no Bosque Maia

O HOJE esteve no Bosque Maia, nesta quarta-feira (10), para constatar denúncias de irregularidades de pessoas mais jovens e de outras áreas de atuação na fila para a vacinação contra o coronavírus.

A grande maioria das pessoas que estiveram no local é da área da saúde sendo dentistas, médicos veterinários e educadores físicos.

“Estou vindo pelo terceiro dia seguido e agora chego aqui e dou de cara com o portão fechado. Eu trabalho em uma clínica de odontologia no Centro, uso transporte público para ir e vir do trabalho, fico muito vulnerável e quando achei que me livraria desse medo, fico sabendo que não vacinariam mais nós que somos profissionais da saúde”, afirmou a dentista, 29 anos, que preferiu não ser identificada.

Chegando no portão do parque, todas elas recebiam a informação de que a vacinação havia acabado por volta das 11h e que só seria possível encontrar a vacina no CEU do Pimentas, outro local na cidade onde está acontecendo a vacinação. Segundo uma funcionária do Bosque Maia, amanhã (11), somente pessoas prioritárias por idade vão conseguir tomar a vacina no sistema drive-thru.

Outra questão levantada durante o processo de vacinação na cidade diz respeito a pessoas de outras cidades que vieram se imunizar no munícipio. Segundo o secretário de Saúde, José Mario Clemente, idosos e profissionais da área da saúde de outras cidades podem ficar sem a segunda dose da vacina. “Essa pessoa que eventualmente possa ter burlado e vindo de outra cidade terá problema na segunda dosagem”, explica o secretário em entrevista à rádio BandNews.

Pessoas que foram vacinadas no posto Bosque Maia e não residem em Guarulhos precisam tomar a segunda dose em uma UBS referenciada na cidade. Para isso, eles teriam que estar cadastrados em uma UBS de Guarulhos. “Como vai se registrar numa UBS de Guarulhos morando em outra cidade? Ela [a pessoa] vai ter problemas”, enfatizou o secretário.