Bandeira vermelha deixa conta mais alta e complica situação da Casas André Luiz

A conta de luz está bem mais cara, e o consumidor sentiu a diferença antes mesmo do início oficial do inverno. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o grande responsável por hastear a bandeira vermelha (patamar 2) e reajustar em 15% a tarifa de consumo é o baixo nível dos principais reservatórios hídricos do país.

A população já adota medidas para diminuir o impacto causado pelos R$ 6,243 para cada 100kWh consumidos, como monitorar o tempo debaixo do chuveiro ou administrar a quantidade de lâmpadas acesas, e a própria Aneel lançou cartilha para incentivar a economia no decorrer do período, porém, as orientações divulgadas não são eficientes na hora de diminuir o gasto da Casas André Luiz.

“Este é um momento muito delicado para nós, pois um aumento desta magnitude abala o orçamento de toda a Instituição. Uma pequena alteração é suficiente para comprometer o orçamento da nossa família, não é? Agora, imagine uma família composta por 1.690 colaboradores preparados para atender as necessidades individuais de cada um dos 1.700 pacientes com deficiências? Por menor que seja o reajuste, os custos serão sempre bem maiores”, explica Luzia Margareth Pummer, presidente do Conselho Diretor da Casas André Luiz.

A Instituição desembolsou 141.360 mil reais com as despesas recorrentes de junho, como água, energia elétrica, gás natural e oxigênio, e o aumento gerou acréscimo de 10% no custo mensal quando comparado aos meses de abril e maio.

Muitos dos 540 pacientes acolhidos na Unidade de Longa Permanência dependem do auxílio de aparelhos em tempo integral para a manutenção de sua saúde e bem-estar. Aparelhos como camas elétricas, monitores de sinais vitais, bombas de infusão, respiradores, equipamentos de pesagem e movimentação, carros de anestesia e aquecedores não podem permanecer fora da tomada.

“É por isso que dependemos tanto do auxílio da população e das empresas que representam a iniciativa privada. A Casas André Luiz é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos, e não é autossustentável, e toda e qualquer ajuda contribui bastante para nossa missão”, conclui Margareth.

Mercatudo Casas André Luiz é oportunidade de renovar

Toda contribuição é bem-vinda, e garante atendimento gratuito e especializado a mais de 1.700 pessoas com deficiências atendidas tanto na Unidade de Longa Permanência quanto no Ambulatório de Deficiências. A Casas André Luiz oferece múltiplos canais e diferentes plataformas para fazer com que o atendimento ao doador aconteça de maneira rápida, simples e direta.

O Mercatudo Casas André Luiz é responsável pelos bazares que comercializam eletrônicos, equipamentos de informática, móveis, roupas, calçados, brinquedos, geladeiras, máquinas de lavar, sofás, acessórios, artigos de decoração, fogão, cama, mesa, armários e guarda-roupas (todos em bom estado de conversação), e as venda são revertidas à causa filantrópica da Instituição.

“Estamos de portas abertas e preparados para retirar o item na casa do doador que estiver na Capital ou na grande São Paulo, incluindo Campinas, Sorocaba e região”, informa Rubens Oliveira, gerente administrativo de doações e logística do Mercatudo Casas André Luiz. “Muitas vezes, a pessoa compra um sofá, uma mesa, e não sabe o que fazer com o móvel antigo. Nós temos a equipe e a solução para ajudá-lo a resolver este impasse”.

A iniciativa também é essencial para preservar o meio ambiente, uma vez que o simples fato de doar evita o descarte irregular e diminui o acúmulo de lixo nos aterros sanitários da cidade, sem falar que o ato reduz o consumo de água, energia elétrica e matéria-prima utilizados para produzir a mobília. Somente a cidade de São Paulo produz 12 milhões de toneladas de lixo por dia, conforme aponta a própria prefeitura da Capital. 

“É a roda do bem em ação. A pessoa doa o móvel, o móvel é vendido nas lojas Mercatudo Casas André Luiz, o consumidor economiza, nossos pacientes com deficiências agradecem, e ainda conseguimos preservar o meio ambiente. É um ciclo benéfico para todos os envolvidos, e ficamos felizes em fazer parte disso”, finaliza Rubens.

Saiba como doar

Para doar, o interessado pode entregar sua doação tanto nas unidades da Casas André Luiz nas cidades de Guarulhos ou São Paulo. Há também a possibilidade de contribuir online. Basta acessar o site da campanha Necessidades Emergenciais para conhecer todas as opções disponíveis.

Endereços

Casa André Luiz (Unidade de Longa Permanência)

Avenida André Luiz, nº 723, Picanço

Guarulhos / SP

Telefone: (11) 2457-7733

Casa André Luiz (Ambulatório de Deficiências)

Rua Vicente Melro, nº 878, Vila Galvão

Guarulhos / SP

Telefone: (11) 2452-4033

Telefones

Grande São Paulo: (11) 95427-3700

Campinas: (19) 99710-7304

Sorocaba: (15) 99776-3847

PIX (CNPJ): 62.220.637/0001-40

Doação virtual pelo site da Casas André Luiz