Coluna 35

Sem grana

Sob o patrocínio do então presidente da Câmara em 2020, professor Jesus (hoje vice-prefeito), os funcionários da Câmara de Guarulhos ficarão sem receber benefícios conquistados desde a década de 90, tais como: vale-refeição, auxílio creche e adicional de nível universitário. Jesus tentava regularizar o pagamento do 13º salário aos vereadores e juntou tudo num só procedimento que acabou sendo vetado e foi parar no Judiciário. Até que se resolva a questão, os funcionários do Legislativo ficarão na berlinda.

Marcação cerrada

Ainda sobre Jesus Roque de Freitas, o Ministério Público tem se empenhado no procedimento que apura os milhões gastos na reforma da nova sede da Casa de Leis. Já são três pedidos sequenciais de informações feitos à atual presidência, em busca de esclarecer se a grana foi ou não bem empregada. Na foto, a diferença entre projeto e realidade. 

15 X 1

Inegável o descontentamento de alguns associados do CIESP Guarulhos, pela vitória da Chapa 2 nas eleições da entidade deste ano. 15 industriais guarulhenses faziam parte da Chapa 1, mas só Antônio Roberto Marchiori levou a diretoria Estadual na Chapa vencedora. Advogado por profissão, Marchiori tem legitimidade garantida por representar indústria associada à entidade. Aliás, como era o também diretor regional do CIESP Luiz Fernando Antônio, que representava a VISTEON.

Herança maldita

Enquanto alguns questionam a contratação da empresa Exame Tecnologia, pela prefeitura, para realizar inspeção, avaliação e plano de recuperação do Edifício Maysa, (obra que semiacabada da família Néfi Tales) na região central da cidade, a Coluna 35 questiona a falta de ação do judiciário que, desde 1997, não deu um fim ao processo. À época, o prefeito petista Elói Pietá aceitou que o município se tornasse fiel depositário da construção e, portanto, responsável pela conservação da mesma. Só no Fórum de Guarulhos, o processo repousou por 15 anos.

Bonito e joiado

Enquanto o prédio de Néfi Tales continua sem solução, tudo segue ilegalmente calmo e tranquilo no Edifico Barcelona. Inacreditavelmente, moradores entram e saem do luxuoso condomínio que ainda não tem Habite-se nem AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros). Cena considerada, pelos profissionais da área, impossível para uma obra do Minha Casa Minha Vida, por exemplo. É uma festa!