HOJE TV: Walter Vargas esclarece fatos vivenciados durante a ‘Guerra dos Seis Dias’

Foto: HOJE TV

“Durante esse tempo nós conseguimos manter a paz. Alguns acidentes e incidentes aconteceram, mas mantivemos a paz e temos certeza que salvamos muitas vidas nesse período”, afirmou Walter Mello de Vargas, presidente da Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz (ABFIP), entrevistado pelo jornalista Maurício Siqueira no HOJE TV desta sexta-feira (22).

“O primeiro contingente dessa missão embarcou para o Oriente Médio para compor a Força de Emergência das Nações Unidas (UNEF) em janeiro de 1957. Essa missão com a UNEF I perdurou por 10 anos”, explicou Vargas.

Essa foi a guerra mais rápida travada entre árabes e israelenses e foi também a que possibilitou a Israel expandir seu território, conquistando a Península do Sinai, a Cisjordânia, Gaza, Jerusalém oriental e as colinas de Golã. “Em 1967 eclodiu a guerra que ficou conhecida como A Guerra dos Seis Dias, obviamente ela durou apenas seis dias. Foi uma missão muito árdua e muito difícil principalmente pelo clima do deserto”, disse Vargas.

Segundo ele, foi graças a pronta atitude tomada pelo comando do Estado maior de seu batalhão que tiveram a perda de apenas uma pessoa, o cabo Carlos Adalberto Ilha de Macedo que trabalhava como enfermeiro no Exército.

O programa vai ao ar de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 9h, e pode ser acessado no Facebook (guarulhoshoje), YouTube (HOJE TV) ou pelo site www.guarulhoshoje.com.br.