Coluna 35

The End?

Persistindo com infindáveis capítulos no cenário político guarulhense, a novela sobre a extinção da Proguaru, parece ter chegado ao fim. Mas, só parece, pois, as várias reviravoltas do caso sempre ensejaram mais uma continuação. Decisões judiciais daqui e dali têm marcado esse processo de “fecha ou não fecha” gerando muito sofrimento e dor aos funcionários que serão desligados da empresa de economia mista (nem tão mista assim). Até o fechamento desta coluna, a informação predominante e mais atual dá conta de que a Proguaru será mesmo extinta e seus trabalhadores devida e legalmente indenizados, ante a cassação de liminar que impedia o feito.

O prédio da discórdia

Em sua participação no programa HOJE TV, o vereador Laércio Sandes (DEM) voltou a criticar a estrutura da nova sede da Câmara Municipal. As sessões, que ainda são feitas de forma remota, por conta de o plenário ainda não estar pronto, marcam a falta de responsabilidade em que se deu a inauguração de um prédio inacabado. Para Sandes, tudo isso foi um grande erro do presidente anterior, Jesus Roque de Freitas (hoje vice-prefeito) e que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) deverá “apertar pra cima do professor Jesus, na prestação de contas dele. Lastimável”. Finalizou. 

Presepada

Na versão mais suave, presepada é um termo nacional que evidencia um ato ridículo e exibicionista. E é dessa forma que o caso do presépio que seria exposto na frente da biblioteca Monteiro Lobato (uma tradição de décadas) foi tratado. A secretaria de Cultura teria encomendado a representação artística do nascimento de Jesus à artista plástica Anna Guerra que, no momento da entrega, foi surpreendida pela recusa da pasta, com o argumento de que não teria os R$ 14 mil para pagá-la. Economia? Nada disso, pois a mesma secretaria gastou, neste mesmo mês, R$ 8 mil com guloseimas num evento. Pagaram R$ 185,00 por um cento de mini salgados que, no mercado, não sai por mais que R$ 50,00. Em matéria de maus gastos, o professor Jesus tem feito história.

Orçamento

Com o fim das Audiências Públicas, nesta quarta-feira, 15, a Câmara deve marcar para o próximo dia 23 (antevéspera de Natal) a sessão para aprovação do Orçamento para 2022, além de outros Projetos de Lei que têm prazo para este ano.