Neuropsicopedagoga descreve quais são os motivos do aumento da incidência do Autismo

Foto: Hoje TV

Os Transtornos de Espectro Autista (TEA) são definidos por um conjunto de comportamentos que variam em grau e gravidade. Segundo Marina Domine, professora e neuropsicopedagoga, entrevistada no HOJE TV desta segunda-feira (11) pelo jornalista Maurício Siqueira, indivíduos com dificuldade de socialização, de comunicação, com certa tendência à repetição e a ser metódico podem apresentar o transtorno.

“Houve uma mudança e uma melhora nos critérios de diagnóstico, o que determinou que não somente casos graves e moderados, mas também os leves, pudessem ser diagnosticados de uma maneira mais assertiva”, afirmou.

Enquanto isso, o segundo se trata de um maior número de médicos e demais profissionais especializados em TEA, o que facilita o melhor encaminhamento das suspeitas do transtorno ou ao menos de que há algo errado com o desenvolvimento de algumas crianças e que pode significar autismo. “Antigamente, os autistas eram colocados como deficientes intelectuais ou como se tivessem Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), por exemplo. O laudo do espectro demorava muito para sair. No caso dos meus filhos, há 18 anos, demorou horrores. Hoje, nós temos mais pais e avós se descobrindo dentro do espectro”, explicou ela.

Por último, Marina descreveu sobre os maiores recursos nos dias atuais apoiando o TEA. “Na forma de pesquisa, na formação de centros especializados em atendimento de autismo e na forma de uma lei federal que garante muitos dos direitos que os pais dos autistas tanto buscam e necessitam alcançar para seus filhos. Assim, podemos ver que a prevalência aumentou e continua aumentando, pois cada vez mais se compreende melhor este transtorno, os casos de autismo são melhor identificados e principalmente recebem melhor apoio. Porém, ainda há muito a fazer, ou seja, não é que aumentou os casos, a verdade é que hoje se está dando o diagnóstico mais assertivo com rapidez, o que é bem diferente”, finalizou a professora.

O programa vai ao ar de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 9h, e pode ser acessado no Facebook (guarulhoshoje), YouTube (HOJE TV) ou pelo site www.guarulhoshoje.com.br.

- PUBLICIDADE -