Sem crematório público, prefeitura destina familiares a Vila Alpina

Como a cidade não dispõe dos serviços de um crematório público, todos os serviços são encaminhados para a Vila Alpina, em São Paulo, cujo o funcionamento é 24h, ou no caso, no único particular da cidade, o Primaveras, localizado na avenida Otávio Braga de Mesquita, região do Taboão.

Já as exumações, são realizadas após três anos ou por solicitação da família, cabendo a ela decidir para onde serão levados os restos mortais, no caso se serão cremados ou guardados nos próprios cemitérios. A prefeitura alega também que após o prazo de três anos, as administrações dos cemitérios municipais Campo Santo e Bonsucesso realizam as exumações de quadra geral, com os restos mortais sendo destinados para o ossário geral, mas cabe a cada família agendar o serviço.

As exumações são realizadas em torno de 12 por dia nos cemitérios da Vila Rio de Janeiro e Bonsucesso, segundo a prefeitura. O que diferencia o serviço de cremação pública e privado é o valor, pois o HOJE apurou que o serviço na Vila Alpina é cobrado um valor de R$ 2.149, enquanto no público de Campinas é R$ 2.060, porém, só podem ser realizados em moradores da região, e no particular em Guarulhos, o único da região, o valor é de R$ 4.400.

Em relação aos sepultamentos, o cemitério com maior número é o da Vila Rio de Janeiro, com média de 25 por dia, seguido pelo Bonsucesso, com 15, além do São João Batista com cinco e São Judas com três. O maior cemitério municipal é o da Vila Rio de Janeiro, composto por 25.245 sepulturas, sendo 40 lóculos e 86 jazigos em concessão, sendo os últimos com seis gavetas cada.

Reportagem: Ulisses Carvalho
[email protected]